Marcos Dantas

Brasília

Ao comentar caos das prisões, Jornalista Cláudio Humberto chama governador do RN de “sem moral”


E aos poucos o caos do sistema prisional potiguar vai sendo colocado na fatura do Governo Robinson Faria. Famoso jornalista Cláudio Humberto, dono do site Diário do Poder, chegou a chamar o governador potiguar de “sem moral”, ao comentar nesta quinta (19), a crise no seu programa de rádio, na Band News FM de Brasília. Humberto se referia ao fato do Governo ter negociado com as facções, as transferências de detentos de Alcaçuz para outros presídios.

Forças Armadas poderão atuar em presídios para reforçar segurança


O governo federal autorizou hoje (17) a atuação das Forças Armadas nos presídios para fazer inspeção de materiais considerados proibidos e reforçar a segurança nas unidades. O anúncio foi feito depois de reunião entre o presidente Michel Temer e autoridades de todos os órgãos de segurança e instituições militares do governo federal para discutir estratégias de segurança pública.

“Em uma iniciativa inovadora e pioneira, o presidente coloca à disposição dos governos estaduais o apoio das Forças Armadas. A reconhecida capacidade operacional de nossos militares é oferecida aos governadores para ações de cooperação específicas em penitenciárias”, disse o porta-voz da presidência, Alexandre Parola.

Segundo o governo, é preciso que os estados concordem com o trabalho dos militares enviados pelo Ministério da Defesa, mas a segurança interna continua sob responsabilidade dos agentes penitenciários e policiais. “Haverá inspeções rotineiras nos presídios com vistas a detecção e apreensão de materiais proibidos naquelas instalações. Essa operação visa restaurar a normalidade e os padrões básicos de segurança nos estabelecimentos carcerários brasileiros.

Participaram do encontro, no Palácio do Planalto, os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha; da Justiça, Alexandre de Moraes, do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen; da Fazenda, o interino Eduardo Guardia; das Relações Exteriores, José Serra; da Defesa, Raul Jungmann e representantes do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, do Exército, Aeronáutica e Marinha.

Distrito Federal enfrenta pela primeira vez racionamento de água


Pela primeira vez no Distrito Federal, começa nesta terça-feira (17) um sistema de racionamento de água, que vai afetar 1,8 milhão de habitantes. Entre as medidas anunciadas pelo governo do Distrito Federal para amenizar e controlar a crise hídrica na região está o aumento da conta, com a tarifa de contingência sobre o consumo.

Além disso, serão estabelecidas restrições de horários para captação de água por caminhões-pipa e a divulgação de orientações para estabelecimentos comerciais, como lava-jato.

Ex-genro de Silvio Santos estoura limite de faltas na Câmara dos Deputados e corre risco de cassação


Do Congresso em Foco – O deputado Guilherme Mussi (PP-SP) precisa se justificar. Aos 34 anos, o presidente estadual do PP extrapolou o limite de faltas injustificadas na Câmara e está, em tese, sujeito a ter o mandato cassado. Genro do empresário e apresentador Silvio Santos até maio, Mussi deixou de comparecer à Casa 39 vezes nos 94 dias em que deveria ter registrado presença. Dessas ausências, 36 estão sem qualquer esclarecimento até o momento.

A Constituição prevê que perderá o mandato o parlamentar que “deixar de comparecer, em cada sessão legislativa, à terça parte das sessões ordinárias da Casa a que pertencer, salvo licença ou missão por esta autorizada”. Mussi ultrapassou esse limite em 2016: teve 38% de ausências não explicadas.

Garibaldi foi quem mais faltou às sessões do Senado


Dos três senadores potiguares, Garibaldi Filho (PMDB) foi quem mais faltou. O peemedebista faltou cinco vezes, destas justificou três e deixou de justificar as outras duas. O democrata José Agripino faltou quatro sessões, e a petista Fátima Bezerra três.16

Senador Reguffe foi o único a estar presente em todas as sessões de 2016


Em seu primeiro mandato, o senador Reguffe (sem partido-DF) foi o único a comparecer a todas as sessões reservadas a votação em 2016. Outros quatro registraram uma única ausência em todo o ano: o candidato à presidência do Senado e líder do PMDB, Eunício Oliveira (PMDB-CE), José Pimentel (PT-CE), Pedro Chaves (PSC-MS) e Waldemir Moka (PMDB-MS). Os dados são de levantamento da Revista Congresso em Foco, que também apontou o senador Fernando Collor (PTC-AL) como o mais ausente do ano, excluído os casos motivados por problemas de saúde. Collor faltou uma a cada três sessões.

Os dois senadores que mais se ausentaram das sessões de 2016 enfrentaram problemas de saúde ao longo do ano: Jader Barbalho (PMDB-PA), que somou 62 faltas, e Rose de Freitas (PMDB-ES), que faltou 30 vezes. Ambos se valeram de licenças de saúde. Ainda assim, Jader foi o campeão em ausências não justificadas. O senador deixou 18 faltas acumuladas sem justificativa.

Congresso em Foco aponta Walter Alves como o deputado federal potiguar mais assíduo


O deputado federal Walter Alves (PMDB) registrou, pelo segundo ano consecutivo, a maior assiduidade entre os oito parlamentares do Rio Grande do Norte na Câmara Federal. Segundo levantamento do site “Congresso em Foco”, com base em dados oficiais da Câmara, Walter Alves compareceu a 90 sessões e registrou apenas quatro faltas – duas justificadas – ao longo do ano de 2016.

Cumprindo o primeiro mandato como deputado federal, Walter repete o fato registrado em 2015, quando, de acordo com o mesmo estudo, compareceu a 123 das 125 sessões realizadas na Câmara Federal. Já em 2016, a Câmara exigiu a presença dos deputados em 94 sessões deliberativas.

Ainda segundo dados do “Congresso em Foco”, os deputados acumularam 5.883 faltas nos 94 dias em que as presenças foram exigidas. Os parlamentares das regiões Centro-Oeste e Norte foram os que tiveram maior média de ausências (14,4 e 11 cada, respectivamente). Na sequência, aparecem as bancadas do Nordeste (10) e do Sudeste (9,6%). Os deputados do Sul foram os mais assíduos; cada um teve média de 9,2 faltas ao longo do ano.

Senador José Agripino disse que o PT virou “masoquista”


DA FOLHA DE SÃO PAULO: “O PT agora virou masoquista. Quer antecipar eleições para levar outra surra como a que tomou nas disputas municipais.”

DO SENADOR JOSÉ AGRIPINO MAIA (RN), presidente nacional do DEM, sobre o petista Lula defender eleições diretas ao Palácio do Planalto ainda neste ano.

Temer diz à bancada da bala que Plano de Segurança é mais efetivo e descarta novo ministério


A criação de um Ministério da Segurança, como sugerido a Michel Temer pela bancada da bala, está fora do horizonte do governo por três motivos principais. Na reunião com os deputados, apesar de ter deixado as “portas abertas”, o presidente avisou que a pasta da Justiça tem intensificado sua atuação na área e que o fortalecimento das ações passa pelo Plano Nacional de Segurança. Como pano de fundo, avalia que, em período de ajuste, um novo ministério não seria bem recebido.

Em 2002, Temer sugeriu a José Serra, que disputava o Planalto, a criação desse ministério. A dupla voltou ao tema nesta quarta (11), mas concordou que não é o momento. “Na atual conjuntura, seria descabido”, justifica o chanceler.

A criação de um Ministério da Segurança, como sugerido a Michel Temer pela bancada da bala, está fora do horizonte do governo por três motivos principais. Na reunião com os deputados, apesar de ter deixado as “portas abertas”, o presidente avisou que a pasta da Justiça tem intensificado sua atuação na área e que o fortalecimento das ações passa pelo Plano Nacional de Segurança. Como pano de fundo, avalia que, em período de ajuste, um novo ministério não seria bem recebido.

Em 2002, Temer sugeriu a José Serra, que disputava o Planalto, a criação desse ministério. A dupla voltou ao tema nesta quarta (11), mas concordou que não é o momento. “Na atual conjuntura, seria descabido”, justifica o chanceler.

Lei que obriga farol aceso durante o dia deve ser revista na Câmara

Diversos projetos que alteram a lei tramitam na Casa. Um dos pontos propostos é que os veículos passem a ser fabricados com mecanismo que acende e apaga os faróis automaticamente.

O carro não pega… você esqueceu o farol ligado. Desde que entrou em vigor a lei ( 13290/16) que obriga o uso de farol baixo, durante o dia, nas rodovias, muita gente passou por situação parecida, ou pior, esqueceu de ligar os faróis, por falta de costume, e foi multado. A lei rendeu muita discussão, inclusive na Justiça, que suspendeu as multas e depois reviu a decisão. Mas por conta dos muitos questionamentos sobre a utilidade da norma, deputados resolveram tentar modificá-la (PL 5608/16 e apensados).

Um dos pontos propostos é que, num prazo de 4 anos a contar do início da vigência, os veículos serão progressivamente fabricados com mecanismo que acenda e apague os faróis sempre que o carro for ligado ou desligado, como explica o relator da matéria na Comissão de Transportes, deputado Hugo Leal, do PSB do Rio de Janeiro e presidente da Frente Parlamentar do Trânsito Seguro.

“Um dispositivo chamado DSL, que é um dispositivo que acende automaticamente o farol, até como fator de segurança. Então, esse dispositivo também passará, como foi o airbag, como é hoje o ABS, também a ter o caráter obrigatório e aí, obviamente, não há necessidade de manuseio humano e aí terá uma composição muito melhor.”

Outra modificação proposta é para que os faróis dos carros não precisem ficar acesos dentro do perímetro urbano, mesmo nas rodovias que cortem as cidades. O especialista em Segurança do Trânsito David Duarte concorda com a mudança. Ele lembra que a lei atual também obriga que os motociclistas permaneçam com faróis acesos todo o tempo, para ficarem mais visíveis e evitarem acidentes. Para David Duarte, se os faróis dos carros ficarem igualmente acesos nas cidades, a diferenciação com as motos se tornaria mais difícil. O projeto de lei que muda as regras para uso dos faróis no Brasil ainda passará pela Comissão de Constituição e Justiça. Se não houver pedido de, pelo menos, 51 deputados para ir ao Plenário, poderá seguir diretamente para o Senado.

Zenaide Maia recebe notícia da liberação de suas emendas impositivas para ajudar a melhorar a saúde do RN


A deputada federal Zenaide Maia recebeu a notícia da liberação de suas Emendas Impositivas pelo Governo Federal. Do Fundo Estadual de Saúde serão destinados R$ 300 mil reais para o Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL). Para o Fundo Municipal de Cruzeta o valor de R$ 93 mil e 400 reais, além de R$ 100 mil reais para o Fundo Municipal de Saúde de Serra Negra do Norte.

Quase todas as emendas impositivas da deputada tiveram a Saúde como principal destino. “Mais de 70% das minhas emendas impositivas foram destinadas para a área de saúde, pois essa é a área que mais precisa de investimentos. Como Médica, sei das dificuldades e necessidades. Precisamos investir na saúde, pois o povo não está recebendo o atendimento digno que merece”, argumentou Zenaide Maia.

Michel Temer vai gastar R$ 7,5 mil na compra de sorvetes para viagens


O Palácio do Planalto prevê gastar R$ 1,75 milhão com comida para abastecer o avião presidencial que serve o presidente da República Michel Temer e seus convidados. A licitação para compra dos mantimentos está aberta. O maior gasto da lista será com tortas de chocolate. O Planalto pediu uma tonelada e meia de torta, ao custo total de R$ 96 mil.

Temer fará pronunciamento em busca de transmitir mensagem de otimismo


O presidente Michel Temer fará neste sábado (24) um pronunciamento em rede nacional de rádio e TV para buscar transmitir uma “mensagem de otimismo” para 2017 e fazer um balanço para a população do seu governo.

Segundo assessores, Temer vai dizer que, nestes sete meses de governo, já tomou várias medidas para reorganizar o país, mas dirá que ainda há muito a fazer para que a economia volte a crescer ainda no próximo ano.

O governo espera um crescimento de 1% do PIB (Produto Interno Bruto) em 2017, depois de dois anos de recessão. A expectativa do Palácio do Planalto é que a economia ganhe fôlego com as medidas anunciadas nas duas últimas semanas e com uma queda mais forte da taxa de juros, já prometida pelo Banco Central.

O presidente vinha analisando com sua equipe a possibilidade de fazer o pronunciamento. Uma ala do governo era contra, temendo panelaços no país. Outra defendia a fala em rede nacional de rádio e TV para mostrar o que o governo já fez até agora, por avaliar que muitas medidas acabaram não chegando totalmente a alguns segmentos da sociedade.

O pronunciamento será feito num momento em que o governo tem baixa popularidade e a economia ainda não saiu da recessão, o que era esperado para este final de ano, mas ainda não aconteceu. Para tentar mudar o humor da população, o governo adotou uma série de medidas voltadas para trabalhadores, classe média e empresários nas últimas duas semanas.

Juízes sugerem a Gilmar Mendes que renuncie à toga e vire “comentarista”


Do UOL – Irritados com as sucessivas críticas de Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal) – inclusive a colegas da Corte – juízes federais divulgaram nota nesta quinta-feira (15) em que atribuem ao ministro ‘reiterada violação às leis da magistratura e os deveres éticos impostos a todos os juízes do país’.

Para os magistrados, Gilmar Mendes ‘se vale da imprensa para tecer juízos depreciativos sobre decisões tomadas no âmbito da Operação Lava Jato e mesmo sobre decisões de colegas seus, também ministros do Supremo‘.

A nota é subscrita pela Associação dos Juízes Federais de São Paulo e Mato Grosso do Sul (Ajufesp), que sugere. “Nada impede que o ministro Gilmar Mendes, preferindo a função de comentarista à de magistrado, renuncie à toga e vá exercer livremente sua liberdade de expressão, como cidadão, em qualquer dos veículos da imprensa, comentando, aí já sem as restrições que o cargo de juiz necessariamente lhe impõe, o acerto ou desacerto de toda e qualquer decisão judicial.”

Nas últimas semanas, o ministro desfechou duros ataques inclusive sobre colegas seus no Supremo, como Marco Aurélio e Luiz Fux, o primeiro porque decretou liminarmente a queda do presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), o outro porque mandou voltar para a Câmara o projeto 10 Medidas contra a Corrupção.

 

TSE aprova por unanimidade contas de Henrique Eduardo Alves


O Pleno do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu ontem por unanimidade aprovar as contas do então candidato ao Governo do RN Henrique Eduardo Alves . Seguindo o voto do Ministro relator Napoleão Maia Filho, aprovaram por 7 X 0 .

Votaram os ministros Jorge Mussi, Henrique Neves,Luciana Lóssio, Luiz Fux, Rosa Weber e Gilmar Mendes. “Nessas condições, a reconsideração da decisão agravada é medida que se impõe, ante as particularidades do caso concreto e a orientação jurisprudencial sedimentada por esta Corte Superior”, diz o voto.

Forças Armadas assumem a segurança do Grande Recife


A “Operação Leão do Norte” deslocou 3.500 militares das Forças Armadas para atuar na Região Metropolitana do Recife (RMR) realizando atividades de competência da Polícia Militar. As tropas estarão nas ruas dos 14 municípios até o dia 19 deste mês. A intenção é garantir a lei e a ordem durante o período de trabalho reduzido da Polícia Militar, a chamada operação padrão da categoria.

De caráter preventivo e repressivo, Marinha, Exército e Aeronáutica já estão nas ruas do Grande Recife desde às 18h da sexta-feira (9). Eles exercem atividades de competência da Polícia Militar como prisões em flagrante. A previsão é de que, até à tarde deste sábado (10), 1.540 militares já estejam nas ruas. A RMR receberá tropas da Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Alagoas, Bahia, Sergipe e Piauí.
Até o fim da operação, o controle dos órgãos de segurança pública ficará a cargo do General de Brigada Francisco Humberto Montenegro Junior, comandante da 10ª Brigada de Infantaria Motorizada. A ação foi solicitada pelo governador, Paulo Câmara, e autorizada pelo presidente da República, Michel Temer, na quinta-feira (9). O decreto foi publicado no Diário Oficial da União.

A RMR foi dividida em oito áreas. As Forças Armadas aproveitaram a disposição de seis batalhões da Polícia Militar. “O deslocamento da tropa pode ser a pé, motorizado, por viaturas blindadas ou por helicópteros. Porém, os meios mais utilizados serão as viaturas motorizadas como jipes e caminhões. Os helicópteros serão utilizados para o patrulhamento aéreo, o deslocamento rápido das tropas e observação. O deslocamento dos equipamentos será feito de acordo com a necessidade”, explicou o general de Exército Artur Costa Moura, Comandate Militar do Nordeste.

O general apontou que o foco é no Grande Recife por ser considerada uma região mais crítica no que tange à segurança pública. “Podemos prorrogar a operação caso seja necessário e avaliar, posteriormente, se é necessário estender a atuação das Forças Armadas no estado”, detalhou.

A comerciante Josina Faria diz que assiste de perto a criminalidade no bairro da Várzea. Ela espera que as Forças Armadas tragam uma sensação de segurança para a população. “Nós já vivemos uma crise segurança no estado. Vejo assaltos e brigas constantes aqui e olha que tem uma delegacia de polícia bem atrás do meu comércio. Tudo isso só piora com a falta da PM”.

Morador do bairro da Várzea, Jorge Cordeiro espera que os militares, realmente, trabalhem para diminuir a incidência de crimes. “Porque estamos cansados de saber que tem policiais militares à disposição, mas não os vemos nas ruas. Quem sabe as Forças Armadas não tragam o que perdemos há tempos: a segurança”

Operação padrão
Policiais e bombeiros militares fizeram uma passeata na sexta-feira (9), logo após a prisão do presidente da Associação dos Cabos e Soldados de Pernambuco (ACS-PE), Alberisson Carlos, e do vice da associação, Nadelson Leite. Os PMs e bombeiros caminharam até o Palácio do Campo das Princesas, sede do governo do estado, onde asseguraram que não há greve, mas que vão cumprir a decisão da última assembleia: sem adesão aos Programas de Jornadas Extra (PJEs) e manuntenção da operação padrão.

O Comando da Polícia Militar de Pernambuco informou, na ocasião, que a prisão em flagrante se devia ao descumprimento da ordem judicial que proibia bombeiros e policiais militares de se reunirem para discutir greve. Neste sábado, o secretário de Defesa Social do estado, Ângelo Gioia, apontou que eles responderão por motim e práticas de crimes militares.

“Quando se fala em não decretação de greve é porque eles sabem que é ilegal. O que se decidiu ontem [sexta] foi óbvio em evitar um embate, absolutamente, estúpido e desnecessário. O que nós assistimos foram dois indivíduos usando associações para se arvoraram em atividades sindicais. O que é inconstitucional e ilegal. O governo estadual pediu o apoio para oferecer sossego e garantir a segurança da população na rua”, apontou.

A prisão aconteceu na Praça do Derby, na região central do Recife, durante discurso do presidente em um trio elétrico no local. Para o advogado da ACS-PE, François Cabral, a prisão foi ilegal. Cabral aponta que lideranças de outras associações militares estavam no mesmo trio elétrico que os chefes da ACS-PE, mas que nenhum deles foi preso.

Rogério Marinho será o relator de comissão que vai reformular leis dos planos de saúde


A Câmara dos Deputados instalou esta semana a Comissão Especial destinada a reformular a legislação destinada aos planos de saúde e seguros privados de assistência à saúde. Integrante do colegiado, o deputado federal Rogério Marinho (PSDB) foi escolhido relator da matéria durante reunião realizada nesta quarta-feira (14).

“Essa comissão vai se debruçar sobre um tema relevantíssimo para o país. Vamos debater a reestruturação dos planos de saúde e o funcionamento do SUS. Nossa perspectiva é fazer trabalho colegiado, apresentaremos um plano de trabalho na próxima reunião e estamos abertos as sugestões dos deputados que tenham interesse em colaborar”, disse Rogério Marinho.

Como presidente da Comissão Especial foi eleito o deputado Hiran Gonçalves (PP-RR), que terá como primeiro vice-presidente Evandro Gussi (PV-SP). Os deputados Antonio Brito (PSD-BA) e Andre Abdon (PP-AP), são segundo e terceiro vice-presidente, respectivamente.

Por intervenção de Agripino, Renan retira projeto de abuso de autoridade da pauta de votações


A atuação do senador José Agripino (RN), presidente nacional do Democratas, foi fundamental para que o projeto de abuso de autoridade fosse retirado da pauta de votações do plenário, na noite desta quarta-feira (14). Por intervenção do parlamentar potiguar, o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), acatou sugestão de encaminhar o PL para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e só depois votá-lo em plenário, conforme aconselhou o líder democrata.

Agripino recomendou que o Senado aguarde a discussão da matéria no seu mérito e que, depois do recesso, quando serão empossados os novos membros e eleito o presidente da CCJ, o projeto seja debatido e discutido durante três sessões. “Serão três semanas em que todos os entendimentos possíveis deverão acontecer”, orientou.

De acordo com José Agripino, o Brasil vive momentos de tensão e votar esta matéria sem a devida tramitação seria “jogar mais lenha na fogueira”. “Essa matéria tem que ser do interesse do povo do Brasil. Não pode haver nem vencedor nem vencido. Temos que buscar o entendimento. E isso não quer dizer que ninguém vá se curvar a quem quer que seja. O Brasil vive momentos de extrema tensão, não é boa conselheira a atitude de jogar mais lenha na fogueira. Pelo contrário, a sensatez deve ser a palavra de ordem”, ressaltou.

“Agradeço a intervenção do senador José Agripino. E, interpretando o sentimento da Casa, quero adotar a sugestão. A proposta será encaminhada para a CCJ”, concluiu Renan anunciando a retirada do PL da pauta logo após a intervenção de Agripino. O projeto de abuso de autoridade, apresentado pelo presidente do Senado, revoga a legislação vigente e estabelece novas punições a juízes e procuradores, entre outras autoridades.

Marcelo Odebrecht confirma à Lava Jato versão de delator sobre Michel Temer


Da Folha – Ex-presidente e herdeiro do grupo Odebrecht, Marcelo Odebrecht confirmou à Lava Jato a versão do ex-executivo da empreiteira Cláudio Melo Filho sobre pagamento de R$ 10 milhões ao PMDB feito a pedido do presidente Michel Temer. Segundo a Folha apurou, Marcelo, que fechou acordo de delação premiada, depôs por pouco mais de três horas na segunda (12) em Curitiba. De acordo com procuradores, as oitivas seguiram terça (13) e devem durar ao menos três dias.

Marcelo respaldou o episódio do jantar no Palácio do Jaburu, em maio de 2014, com a presença de Temer, então vice-presidente, e do hoje ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, no qual, segundo os delatores, foi acertado o pagamento de R$ 10 milhões para a campanha peemedebista.  

Marcelo não deu detalhes sobre a operacionalização do dinheiro que, de acordo com Melo Filho, foi feita por Padilha. Segundo o ex-executivo, o hoje ministro do governo pediu que parte dos recursos fosse entregue no escritório de José Yunes, assessor e amigo de Temer, em São Paulo.

Temer, Padilha e Yunes negam ter praticado qualquer tipo de irregularidade e a empreiteira não se manifesta sobre o teor dos acordos. O patriarca da empresa, Emílio Odebrecht, também iniciou seu depoimento no acordo de colaboração. Ele foi à sede da Procuradoria-Geral da República em Brasília nesta terça-feira (13). Assim como Marcelo, Emílio deve detalhar a relação da empreiteira com os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, do PT.

Como revelou a Folha, Emílio vai esmiuçar a construção da Arena Corinthians, que, segundo ele, foi uma espécie de presente a Lula, torcedor do time paulista. Marcelo deve contar como pediu à ex-presidente Dilma que intercedesse para que a Caixa Econômica ajudasse no financiamento da obra –os dois teriam discutido o assunto numa visita ao estádio. Os relatos apresentados aos procuradores informam que Marcelo era o responsável por tratar dos assuntos da empreiteira com a alta cúpula do Executivo, ou seja, a Presidência da República.

Já Cláudio Melo Filho, ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht, fazia a ponte com o Legislativo. Melo, aliás, presta depoimento também desde segunda aos procuradores em Brasília. Pessoas com acesso às investigações afirmam que o depoimento de Marcelo mira principalmente os ex-presidentes petistas e funciona como um “guarda-chuva” na confirmação de versões dos demais executivos. Ele corrobora ainda a versão do pagamento de sete mesadas no valor de R$ 50 mil a Anderson Dornelles, um dos principais assessores de Dilma, também relatada por Melo Filho. O ex-auxiliar nega. Após a conclusão dos depoimentos, o ministro Teori Zavascki, do STF (Supremo Tribunal Federal), decide por homologar ou não os acordos.

Zenaide Maia diz que aprovação da PEC pelo Senado reduz expectativa de vida do Povo Brasileiro


A deputada federal Zenaide Maia classificou como uma “derrota” a aprovação da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 55, que estabelece teto para os gastos do governo em 20 anos.

Única parlamentar potiguar a ser contra a PEC na votação na Câmara, Zenaide Maia fez a seguinte declaração após aprovação no Senado:

“A PEC 241/55 foi à maneira que o Governo Temer encontrou em reduzir a esperança de vida ou a expectativa de vida do Povo Brasileiro, pois o que determina a expectativa de vida de um povo é o acesso a serviços de: Saúde, Saneamento, Educação, Segurança Pública, Assistência Social, Cultura e Lazer. Se a PEC 241/55 proíbe os investimentos nesses setores por 20 anos, é claro que a esperança de vida do nosso povo vai ser reduzida. Em quantos anos? Talvez o IBGE possa responder.”, declarou a deputada Zenaide Maia.

A PEC foi aprovada no começo da tarde desta terça-feira (13), em meio ao agravamento da crise política com a divulgação da delação do ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht Claudio Melo Filho, que envolve os homens fortes do governo Temer.

A maioria da população brasileira (60%) é contrária à PEC 55, de acordo com pesquisa feita pelo Datafolha, O instituto entrevistou 2.828 pessoas em 7 e 8 de dezembro.