Sindipostos alerta que valores dos combustíveis ficarão a cargo de cada revendedor

Em nota o Sindicato do Comércio Varejista dos Derivados de Petróleo do Rio Grande do Norte externou sua preocupação com as mais recentes medidas adotas pelo Governo Federal e ratificadas pela Petrobras que, segundo informou através da imprensa nacional, reajustará o preço do combustível repassado aos revendedores em R$ 0,22.

“A situação é extremamente preocupante sob vários aspectos. O primeiro deles é o fato de que o revendedor, que já tem uma reduzida margem de lucro, não terá como absorver o aumento do combustível vindo das distribuidoras. Importante também atentar que além da retomada da taxação do PIS e Cofins, e da volta da CIDE (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico) nos referidos combustíveis, o preço do produto também deverá ter reflexo do reajuste do salário mínimo, da energia e ainda própria pauta fiscal (ICMS, que é de 27%), entre outros.

Por todos esses aspectos, o Sindipostos esclarece que o reajuste do preço do combustível no Rio Grande do Norte tende a ocorrer como reflexo do aumento da carga tributária, reajuste dos insumos (mão de obra, energia e frete) e ainda da própria pauta fiscal. No entanto, pela característica do negócio de preço livre e ampla concorrência, os valores ficarão a cargo de cada revendedor”, diz a nota.