Obra do Hospital da Mulher, em Mossoró, está 60% concluída

A implantação da unidade hospitalar Hospital da Mulher Parteira Maria Correia, na cidade de Mossoró, Oeste potiguar, está 60% concluída e ficará pronta ainda em 2022. O Governo do RN está realizando a obra com recursos estaduais via empréstimo com o Banco Mundial. O investimento total será de R$ 125 milhões.

Entre os principais serviços em execução na área externa estão o de drenagem e instalação de placas que compõem a fachada do prédio e do piso intertravado da circulação. No interior, os serviços se concentram nas instalações elétricas, de tubulações de ar condicionado, de caixas de descarga, do revestimento cerâmico e do porcelanato, mais as esquadrias e pintura.

O bloco A, dedicado às enfermarias, tem o serviço mais adiantado, com revestimento, pisos e esquadrias já instalados; o bloco C, reservado às cirurgias, é o próximo a ser finalizado. De acordo com o governo estadual, um relatório da obra é emitido a cada semana para o coordenador do Governo Cidadão, para garantir o cumprimento do cronograma. Segundo ele, a obra será entregue ainda em 2022.

Maior licitação ocorrerá em março

Para a implementação do Hospital da Mulher estão previstas 16 licitações para compra de equipamentos, mobiliários e veículos, que somam mais de R$ 45 milhões. Duas delas já ocorreram, no valor total de R$ 4,5 milhões, quando foram adquiridos equipamentos de grande porte para a estruturação do Hospital, como aparelhos de Raio X, mamógrafo e outros que necessitavam estar no local antes das obras físicas serem erguidas.

A maior licitação de equipamentos para a unidade está agendada para o dia 07 de março, às 9h. Os detalhes podem ser acessados na capa do site do Governo Cidadão, no botão reservado às informações sobre o Hospital da Mulher. O endereço é o www.governocidadao.rn.gov.br.

As licitações de equipamentos a serem comprados para o Hospital contam com consultas públicas com potenciais fornecedores de equipamentos médico-hospitalares para dar transparência e promover uma ampla concorrência entre empresas do ramo hospitalar. Todo o processo é amparado pelas Diretrizes de Aquisições do Banco Mundial e passam por análises das áreas técnica e jurídica do Projeto Governo Cidadão.

Serviços oferecidos

Paralelamente às obras e às aquisições de equipamentos, foi planejada e finalizada a Carta de Serviços da unidade, formatada por um Grupo de Trabalho formado por técnicos do Governo Cidadão e da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) com a colaboração de universidades parceiras, sobretudo as da região: Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), Universidade do Estado do RN (Uern) e Universidade Federal do RN (UFRN). O modelo de gestão do hospital foi debatido em audiência pública na Câmara Municipal de Mossoró, para ampliar a participação da sociedade na formatação do equipamento.

O planejamento entre Sesap e Uern prevê que a gestão acadêmica fique a cargo da instituição de ensino, que também deverá colaborar com a parte administrativa, tornando o hospital um grande campus, formando profissionais qualificados para atuar no próprio Hospital da Mulher e em outras unidades de saúde, superando um dos entraves da Saúde potiguar, que é a escassez de mão de obra qualificada.

Em tom emocionado, a reitora da UERN, Cicília Maia, disse que “as áreas do hospital voltadas à formação profissional darão uma contribuição inédita ao setor”.

Para a secretária adjunta da Sesap, Lyane Ramalho, “o impacto positivo dessa unidade será transformador para a saúde feminina, não apenas na região Oeste, mas em todo o estado”.

Hospital da Mulher

Ao todo, serão mais de 160 leitos focados na atenção materno-infantil, ginecológica e obstétrica de média e alta complexidade. O investimento total é de cerca de R$ 125 milhões, sendo R$ 85 milhões para obras e R$ 40 milhões em equipamentos.

 

Tribuna do Norte