“Município de Caicó está em dia com os anestesistas e eles precisam retomar plantões no Hospital”, afirma secretária de Saúde

Algumas cirurgias eletivas, ou sejas, as que são marcadas previamente estão suspensas no Hospital do Seridó. A suspensão se deu por causa da paralisação dos anestesistas, por não estar recebendo os recursos das AIHs (Autorização de Internação Hospitalar). O Município, através da secretária de Saúde, Sandra Brilhante diz estar procurando a existência de uma segurança jurídica para que as AIHs sejam pagas a médicos que não integram o quadro do Município, e são cedidos pelo Governo do Estado ao Hospital do Seridó.

A própria Sandra reuniu na tarde desta terça-feira (28) no Hospital, médicos, vereadores e conselheiros de Saúde e apresentou a situação financeira em que se encontra o Hospital, que desde março de 2017 passou a ser de responsabilidade do Município, com um custo mensal de mais de 400 mil reais, e o repasse médio de AIHs, feito pelo Ministério da Saúde é de 135 mil reais. “A conta não fecha, e os recursos que recebemos do Ministério da Saúde não dá sequer para pagar a folha dos médicos do Hospital”, disse Sandra.

Apesar do município reconhecer que não vem pagando as AIHs para os médicos, não entende o motivo da paralisação dos anestesistas, inviabilizando a realização de algumas cirurgias eletivas no Hospital, se o pagamento do contrato mantido pelo Município com a empresa responsável pela contratação dos anestesistas está em dia.

“Alguns médicos cedidos pelo Estado, sem nenhum vínculo com o Município, e hoje não temos nenhum ato legal para pagar AIHs a esses profissionais. Eles recebiam antes, até porque o Hospital não era do Município e não tinha uma fiscalização. Eles recebem o plantão do Estado. Temos os obstetras e pediatras que são contratados pelo Município, e no contrato reza que os profissionais irão receber por um plantão de 24 horas o valor de R$ 3.000,00, e isso eles estão recebendo todos os meses, de forma sagrada, entrou recurso federal, a gente paga. Na maioria das vezes, cada profissional dá seis plantões no mês, e recebe 3 mil reais por cada plantão. Pra que a gente pudesse pagar AIHs, precisava constar no contrato que eles receberiam o plantão, mais 100% de AIHs, e isso não existe no contrato. Temos também a questão dos anestesistas, esses não tem vínculo com o Município, porque nós abrimos um credenciamento e quem venceu foi, como pessoa jurídica, o Centro de Anestesia, e o Centro contrata os profissionais anestesistas. Enquanto Município, estamos pagando mensalmente os plantões desses profissionais.  Ficou acordado no credenciamento que um anestesista iria receber de segunda a sexta, o valor de 2.850,00 por um plantão de 24 horas, e sábado e domingo um valor de 3.400,00 também por um plantão de 24 horas. A folha de anestesista mensal no Hospital do Seridó é de 90 mil reais, e eles estão recebendo mensalmente, conforme o recurso entra na conta do Município, por volta dos dias 13 e 14 de cada mês”, explicou Sandra em entrevista ao Panorama 95 desta quarta (29) na Rural FM.

Diante de algumas tentativas de sensibilizar, através do diálogo os anestesistas a retomarem seus plantões, a Secretaria de Saúde não descarta a possibilidade de notificar o Centro de Anestesia, com a alegação de que o pagamento dos plantões estão em dia, para que as cláusulas do contrato sejam cumpridas.

Confira a entrevista de Sandra Brilhante