Fecomércio RN: 6,5 mil empregos temporários devem ser criados no fim do ano

O movimento de contratação de trabalhadores temporários no Rio Grande do Norte deve aumentar a partir deste mês. É o que aponta estimativa da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio) do Rio Grande do Norte. A expectativa é que sejam criados 6,5 mil novos postos de trabalho para suprir a demanda gerada pela movimentação do comércio no fim do ano, gerando um aumento de 17% no comparado a 2021.

O presidente da Fecomércio RN, Marcelo Queiroz, explica  que com a realização da Copa do Mundo Fifa, em novembro, há uma expectativa de maior aquecimento nas vendas de diversos segmentos das áreas de Comércio e Serviços. Na primeiro, por exemplo, o torneio de futebol deve afetar mais diretamente o mercado de eletroeletrônicos, vestuário, acessórios, supermercados e lojas de material esportivo. A segunda, por sua vez, vai apresentar maiores movimentação em estabelecimentos como bares, restaurantes, bem como serviços prestados às famílias e transportes lideram as áreas potencialmente impactadas.

Segundo levantamento da Fecomércio RN, o setor de Serviços deve ter um volume de 51% das contratações totais, enquanto Comércio responderá 49%. Dos novos postos de trabalho, aproximadamente 35% devem ser efetivados. “O segundo ponto que deve contribuir para um crescimento relevante no número de vagas temporárias abertas este ano é a expectativa positiva para a movimentação turística durante o final de ano. Além do período de alta estação, a realização do Carnatal que, historicamente, traz de milhares de turistas para a cidade, irá aquecer o segmento no estado”, detalhou Queiroz.

O último ponto que influencia a expectativa na geração dos empregos temporários, é o fato de, em 2022, não há mais um contingente de colaboradores subutilizados, principalmente no setor de Serviços. Nesse caso, os estabelecimentos do segmento já vêm apresentando elevado desempenho nas vendas e, no acumulado do ano até julho, o crescimento dos Serviços no RN é de 6,9%.

“Esse é o momento para quem está fora do mercado de trabalho buscar qualificação, se capacitar em cursos, para se destacar no momento da contratação para vaga temporária. Estando contratado, é o momento de se empenhar para buscar efetivação de contrato. A partir do seu comportamento de trabalho, a vaga temporária pode se tornar uma vaga permanente”, afirmou o presidente da Fecomércio RN.