Exames no Hospital Walfredo Gurgel são suspensos por falta de insumos

Após a emissão de uma nota pela Coordenação de Recursos Humanos (CRH) da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), sobre a suspensão de exames ambulatoriais (de rotina) de todos os pacientes da unidade de terapia intensiva (UTI) e enfermarias, mantendo apenas o atendimento no pronto socorro sem exceção no fim de semana, a Sesap explicou, nesta segunda-feira, 18, que as medicações padronizadas contam com processos de compra em andamento.

De acordo com a Sesap, ocorrem apenas faltas pontuais decorrentes de imprevistos, como pregões eletrônicos desertos ou cancelamento de empenhos por fornecedores no Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel por não serem padronizadas e, por isso, não possuem registro de preço vigente junto à secretaria. Quanto à greve dos servidores, a Sesap informou que a Coordenação de Recursos Humanos (CRH) está fazendo diariamente a avaliação dos serviços e observando o impacto do movimento grevista na assistência, para garantir que os serviços essenciais sejam preservados.

A nota diz ainda que a Sesap está negociando com o sindicato dos servidores da saúde e mantém o diálogo aberto, apostando na participação de todos para construção de uma gestão democrática. A Secretaria acredita na negociação como caminho para a construção de relações de trabalho baseadas na cooperação e na solidariedade, assentadas na responsabilização e compromisso com o cidadão. Uma lista de reivindicações do sindicato já está sendo analisada e, no último dia 11, a Mesa Estadual de Negociação Permanente do SUS foi reativada, restabelecendo o diálogo com as entidades representativas dos trabalhadores de forma transparente, democrática e efetiva.

Em outra nota, o Corpo Diretivo Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel esclarece que todas as medicações padronizadas contam com processos de compra em andamento e admitiu que “imprevistos podem atrasar a aquisição destas drogas e, pontualmente, comprometer o abastecimento”. A direção do hospital diz ainda que há casos de pregões eletrônicos fracassados por nenhuma empresa se prontificar a fornecer determinada medicação, ou mesmo por cancelamento de itens importantes do registro de preço, por um fornecedor, à Sesap. O hospital está formalizando processos de compra na modalidade “carona”, por meio de um serviço de compra que já foi concluído, em outro serviço de saúde, seja municipal, estadual ou federal.