Ex-prefeita de Equador acredita na seriedade do Concurso Público e que TCE deve julgar pela regularidade dos atos do certame

Em nota de esclarecimento enviada ao Blog do Marcos Dantas com relação a notícia intitulada de “TCE/RN pode decidir pela anulação do Concurso Público realizado em Equador/RN”, a ex-prefeita de Equador, Noeide Clemens explicou que o fato de estarmos com uma maior fiscalização só está acontecendo porque foram feitas denúncias tanto no Ministério Público quanto no Tribunal de Contas, após o concurso.

Na época, quando o TCE nos solicitou informações e documentos, enviamos tudo, inclusive o estudo de impacto financeiro e vários outros documentos solicitados por isso, os servidores aprovados não necessitam ficar tão apreensivos.

“Inclusive, até o momento, apenas existe relatório de auditoria e parecer do ministério público de contas, que sempre se posicionam dessa forma, quem é ou já foi gestor sabe disso. O processo ainda não foi julgado pela Corte de Contas, que certamente, ao verificar a seriedade com que o concurso foi realizado,  ninguém pode dizer o contrário,  haverá de julgar regular todos os atos praticados no certame”, explicou.

Segue a nota enviada pela ex-prefeita ao Blog

Recebi com surpresa a forma como algumas pessoas e meios de comunicação estão dando destaque ao processo referente ao concurso público que tramita no Tribunal de Contas do Estado desde 2017 e agora ganhou essa grande repercussão.

Como se sabe, os Tribunais de Contas de todos os Estados têm o dever de analisar todos os concursos realizados, de todas as cidades, e não somente de Equador. 

Primeiro, é importante deixar claro que o fato de estarmos com uma maior fiscalização, só está acontecendo porque foram feitas denúncias tanto no Ministério Público quanto no Tribunal de Contas, após o concurso.

Na época, quando o TCE nos solicitou informações e documentos, ENVIAMOS TUDO, inclusive o ESTUDO DE IMPACTO FINANCEIRO e vários outros documentos solicitados por isso, os servidores aprovados não necessitam ficar tão apreensivos.

 Inclusive, até o momento, apenas existe relatório de auditoria e parecer do ministério público de contas, que sempre se posicionam dessa forma, quem é ou já foi gestor sabe disso.

O processo ainda não foi julgado pela Corte de Contas, que certamente, ao verificar a seriedade com que o concurso foi realizado, ninguém pode dizer o contrário, haverá de julgar regular todos os atos praticados no certame.

Quem me acompanha nas redes sociais, sabe que não costumo responder a certas situações, mas, vendo algumas publicações e me sentindo “na pele” de quem fez o concurso, me vejo na obrigação de fazer tais esclarecimento. Como gestora na época do mesmo, me coloco a inteira disposição da imprensa ou de qualquer outra pessoa para fazer qualquer esclarecimento que seja necessário!

Obrigada pela atenção