Estudantes universitários de Jardim do Seridó cobram da Prefeitura ajuda de custo para o transporte escolar

Estudantes universitários de Jardim do Seridó estão mobilizados na tentativa de convencer o prefeito Amazan a ajudá-los, enquanto Gestão Municipal, a arcar com os custos de locomoção para os municípios onde estão localizadas suas faculdades, dentre eles Patos na Paraíba e Caicó. Além de ações de sensibilização nas redes sociais os estudantes estão solicitando que seja realizada uma Audiência Pública com o prefeito e vereadores, onde na oportunidade serão apresentadas algumas propostas ao Município.

Em contato mantido com o Blog do Marcos Dantas o estudante Gildo Milton, que cursa Arquitetura na Faculdade Integrada de Patos/PB deu duas sugestões, que de acordo com ele foram rejeitadas pelo Município.

Todas as prefeituras dão o ônibus para ir para Patos, inclusive Ouro Branco que é uma cidade bem menor do que Jardim do Seridó. Propomos um acordo de cooperação para que a Prefeitura de Jardim fizesse com a de Ouro Branco, funcionando assim: Jardim nos traria até Ouro Branco, de Ouro Branco a gente pegaria o ônibus da prefeitura que é de graça e iriamos com eles até Patos. E é isso que está acontecendo agora, a gente conseguiu fretar um carro só que não vá dá certo por muito tempo, porque nós estamos já vindo lotado e se entrar mais alguém, que estamos prevendo que vai entrar, ai não vai caber todo mundo. A outra proposta foi que a prefeitura faria uma conversa com os motoristas de linhas e chegaria a conclusão de quanto cobraria para manter a linha até a Faculdade. A prefeitura arcaria com 30% desse custo e os alunos com o restante, todos sendo beneficiados através de uma diminuição de suas mensalidades com o transporte, só que a prefeitura também rejeitou essa proposta”, lamentou.

Outra estudante que entrou em contato conosco foi Isabele Azevedo, ela cursa Administração na UFRN em Currais Novos. Ela conta que chegou a se assustar ao saber que teria um custo de quase 500 reais por mês com o transporte para leva-la de Jardim do Seridó à Currais Novos.

Estamos tentando fazer algo para que esse cenário mude, porque eu acredito que não só eu, mas muitos não têm condições de pagar quase 500 reais de um carro para estudar. Temos várias propostas para apresentar as autoridades só que não estamos conseguindo uma oportunidade de ser ouvido. A classe estudantil universitária vem tentando há anos conseguir um espaço para falar do assunto, conseguir um transporte, a gente sabe que na cidade tem ônibus escolares, e que a noite esses ônibus não são todos utilizados já que apenas duas escolas funcionam durante a noite na cidade, e esses ônibus poderiam ser disponibilizados pra gente, como também temos outras propostas para apresentar as autoridades e que funcionem para ambas as partes. Somos o futuro da cidade e merecermos ser ouvidos e receber a ajuda necessária”, explicou.

Isabele adiantou que uma audiência marcada para este sábado (26) entre o Município e os estudantes, intermediada pela Câmara de Vereadores chegou a ser cancelada, e a alegação foi de que nem o prefeito e nem o secretário de Educação poderiam participar da audiência, sem explicar motivos plausíveis para as ausências.

Tem muitos estudantes que estão desmotivados e se nada for feito vão desistir dos seus cursos porque não tem condições de pagar os transportes, que estão caríssimos por causa dos aumentos dos combustíveis”, concluiu Gildo Milton.

Isabele confirmou que a Prefeitura oferece um auxílio transporte, de cerca de 70 a 140 reais para os estudantes aniversários que estudam fora, só que é bastante restrito e que nem todos podem ter acesso. “Se não me engano a renda per capita por pessoa na residência tem que ser de até 400,00. Para alunos que trabalham e que moram sozinhos, ganham salário mínimo e tem que pagar aluguel, água, luz, internet eles não conseguem receber esse auxilio, mas não conseguem tirar 480 reais por mês do seu salário para pagar a mensalidade de um carro particular para a faculdade. É um auxilio restrito a um grupo muito pequeno, um valor mínimo gasto pelo Município. Já temos uma média de 45 alunos que estão se sentindo prejudicados com o aumento do custo com o transporte.

Confira o relato dos dois ao Panorama 95

 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Uma publicação compartilhada por Marcos Dantas (@marcosdantasmartins)