Estádio Coronel José Bezerra chega aos 65 anos

Em 7 de janeiro de 1956, a Camara Municipal de Currais Novos aprovava a instituição de um nome para o estádio que se achava ainda em construção. Por iniciativa do edil Luís Bezerra de Araújo (Cabo Bezerra), foi sugerido via requerimento, ao prefeito em exercício Gilberto Lins, “que o Estádio Municipal, ora em construção, fosse batizado com o nome de: ‘Estádio Municipal Cel. José Bezerra, requerimento aprovado por unanimidade.

O Coronel José Bezerra (1843-1926) ou popularmente coronel Zé Bezerra d’Aba da Serra, foi um personagem mítico na historiografia da região sérido do RN. Não se pode discorrer sobre a fase histórica conhecida por “coronelismo” sem mencionar-lhe a figura e os feitos.

A partida entre o ABC de Natal (RN) e o Sport Club do Recife (PE), marcou a inauguração do Estádio Municipal, em Currais Novos. A partida aconteceu, às 16 horas, no Domingo, do dia 06 de Janeiro de 1957. No final, numa partida de oito gols, o Sport do Recife venceu o ABC, pelo placar de 5 a 3, ficando com a Taça Mina Brejuí, ofertada pela Mineração Tomaz Salustino S.A. A partida gerou uma renda de 56.030 cruzeiros. Na preliminar, o Currais Novos Esporte Clube goleou por 5 a 0, o Caicó.

Palco de craques

O Estádio Coronel José Bezerra já foi palco de jogos históricos do futebol do Rio Grande do Norte e é considerado a principal praça esportiva da “Princesa do Seridó”. O estádio já recebeu a presença de craques como Garrincha e Túlio Maravilha, que desfilaram seus talentos e fizeram a alegria do povo de Currais Novos. Palco dos jogos do Potyguar Seridoense e também do Currais Novos Esporte Clube, este último licenciado da FNF, o Coronel sempre registra boas médias de público, apesar de ser um estádio simples e acanhado. O repórter Ícaro Carvalho, do Sistema Tribuna de Comunicação, lembra que o povo curraisnovense sempre gostou de futebol.

“Lembro que na histórica campanha do Potyguar, em 2009, o Coronel era abarrotado de gente. E isso movimenta a economia da cidade, com venda de cerveja, refrigerante, espetinho, doces pra criançada. Era e é algo muito lindo de se ver. ABC e América iam lá e passavam dificuldades. Naquele ano, o ABC mesmo foi derrotado por 3 a 1, chegou a estar perdendo por 3 a 0”, lembra.

A campanha citada pelo repórter foi a histórica do Potyguar, que foi vice campeão estadual, perdendo para o Assu, na decisão. Por obra do destino, a grande decisão não ocorreu no CJB, pela falta de capacidade para o público na final.

O estádio também já viu o Potyguar ser campeão da segunda divisão, em 2007, em cima do Cruzeiro de Macaíba, bem como registrou a primeira aparição do clube seridoense na Copa do Brasil, em 2010, contra o Paysandu.

As alegrias mais recentes foram em 2021 e 2022, com o retorno do Potyguar de Currais Novos à primeira divisão. Numa campanha irretocável, o Potyguar foi campeão invicto da segundona, retornando à Série A.

Garrincha e Túlio Maravilha

O torcedor curraisnovense pode dizer que tem orgulho de ver craques históricos do futebol mundial terem pisado em sua cidade. O caso mais recente foi em 2010, quando o Potyguar, em jogo festivo, contou com a participação do atacante Túlio Maravilha, ídolo do Botafogo, jogando com a camisa do clube.

A torcida compareceu em peso ao estádio CJB, mas, não foi o suficiente para ajudar o Leão a sair vencedor no jogo comemorativo de 20 anos de fundação do clube. Porém, como havia prometido, Túlio marcou um gol. O jogo terminou 2×1 para os visitantes. Ângelo e Mauro Carlos marcaram os gols da equipe vistante.

Antes, nos anos 70, o Coronel recebeu ainda Garrincha, bicampeão mundial pela Seleção Brasileira, já em fim de carreira. O camisa 7, em 2 de setembro de 1973, jogou pela Seleção da Liga Desportiva Curraisnovense (LDC) cujo terno era idêntico ao da Seleção Brasileira da época. O jogo amistoso foi diante do Centenário de Parelhas-RN e terminou 2 a 1 para o time da casa. O atacante Nabor marcou os dois gols da Seleção de Currais Novos, enquanto Canteiro descontou para o Centenário.

 

Do Tribuna do Norte