Em vídeo, pediatra seridoense desabafa: “está cada vez mais frequente aparecer para mim crianças graves e que já têm passado por algum atendimento médico e que o médico simplesmente não toca no paciente”

A pediatra Sesia Wanderley usou suas redes sociais para fazer um desabafo, de que crianças com quadro grave e que já tem passado por algum atendimento médico e que o profissional, segundo a médica, não toca sequer no paciente.

Está cada vez mais frequente aparecer para mim crianças graves e que já têm passado por algum atendimento médico e que o médico simplesmente não toca no paciente, simplesmente não examina. Apenas olha para o paciente e acha, ou tem uma bola de cristal, dá o diagnóstico e trata sem ao menos tocar no paciente. Então, não entendo essa medicina. Não conheço, desconheço. A regra geral e a primeira regra de medicina a sentir o paciente, e sentir o paciente não é pensar, sentir os pensamentos, as emoções não, é tocar no paciente, examinar”.

Ela contou ter atendido duas crianças nesta terça-feira (29) com um diagnostico de crise de garganta, e que na verdade se tratavam de pneumonias moderadas.

No vídeo ela também voltou a criticar a ausência de plantões médicos 24 horas em muitos municípios da região do Seridó.

Eu digo isso porque eu sou médica do Estado e eu recebo pacientes que vêm da regulação. Alguns municípios não têm plantão médico 24 horas. Isso pra mim é um erro bruto. Todo município tem condições financeiras de ter um plantão médico.  Então os que não têm priorizem, tire dinheiro que está sendo gasto em coisas supérfluas, como festas, decoração de cidade e priorize a saúde, porque saúde, educação e segurança são prioridades. Isso a gente aprende desde criança. Estão fazendo ambulancioterapia, o paciente pode ter qualquer coisa, é uma coisa simples, que pode ser resolvida em qualquer lugar, mas joga o paciente na ambulância para poder viajar para poder ter atendimento médico”.

Confira o vídeo

 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Uma publicação compartilhada por Marcos Dantas (@marcosdantasmartins)