Em nota, Mesa-Diretora da Câmara de Jardim de Piranhas diz não se manifestará sobre Operação Ordenha

A Direção Geral da Câmara de Vereadores de Jardim de Piranhas vem à público manifestar-se a respeito de operação realizada pelo Ministério Público junto a Câmara de Vereadores na manhã desta quinta-feira (10/12).

Foi expedido pelo Juízo da Vara Única da Comarca de Jardim de Piranhas-RN um mandado de busca e apreensão de documentos e coleta de dados no gabinete de um vereador no exercício do mandato, que está sendo investigado num procedimento criminal instaurado pelo Ministério Público Estadual.

Considerando que o mandado foi cumprido com total segredo de justiça, conforme decisão judicial, a Direção Geral da Câmara de Vereadores não manifestará qualquer informação acerca do processo, cabendo a estrita informação de que todos os atos correram na forma da lei e a Câmara de Vereadores encontra-se à inteira disposição da Justiça.

Para entender:

A operação “Ordenha”, que contou com o apoio da Polícia Militar cumpriu 17 mandados de busca e apreensão, nas cidades de Jardim de Piranhas, Natal e Caicó e prendeu o secretário de Saúde, um vereador e uma assistente social de Jardim de Piranhas. São apurados os crimes de peculato, corrupção passiva e associação criminosa, além do delito de falsidade ideológica.

Segundo o MPRN, durante um ano e sete meses de investigações, revelou-se a existência de um sistema de pagamento de propina e de desvio de recursos públicos na prefeitura integrado por servidores públicos comissionados e empresários fornecedores do município.