Eleições 2022: Candidatos gastam R$ 88 milhões em campanhas no RN

Mais de 90% dos recursos usados nas campanhas eleitorais têm origem em fundos com dinheiro público. Valores já superam o total gasto na campanha de 2018.

 

Faltando menos de uma semana para as Eleições 2022, candidatos a cargos eletivos no Rio Grande do Norte já gastaram mais de R$ 88,8 milhões nas suas campanhas eleitorais, de acordo com os dados declarados à Justiça Eleitoral.

Do total de despesas contraídas neste ano, R$ 50,2 milhões já foram pagos – a maior parte com recursos públicos.

De acordo com a Justiça, 92,7% do dinheiro usado pelos candidatos vieram do Fundo Partidário ou do Fundo Especial de Financiamento de Campanha.

As receitas declaradas até o momento superam as despesas. Os candidatos já arrecadaram R$ 118 milhões, sendo 92% com origem nos fundos públicos.

Os recursos privados aplicados na campanha somam pouco mais de R$ 8,4 milhões.

Despesas pagas por cargo

 

  • Deputado federal – 187 candidatos – R$ 27,8 milhões
  • Deputado estadual – 320 candidatos – R$ 7,2 milhões
  • Governador – 9 candidatos – R$ 4,3 milhões
  • Senador – 10 candidatos – R$ 4 milhões

 

O levantamento do g1 não considerou nas despesas pagas cerca de R$ 10,5 milhões que constam como transferências entre prestadores de contas. De acordo com o TSE, esse recurso diz respeito a doações financeiras a outras candidatas e candidatos/partidos e não representam despesas efetivas.

Gasto com propaganda e advogados

 

O principal gasto dos candidatos, até agora, foi com propaganda eleitoral. Cerca de R$ 9,5 milhões foram gastos com publicidade por meio de material impresso. Outros R$ 7 milhões foram pagos na produção dos programas de rádio e televisão, ou vídeos para a internet. Os valores dizem respeito às despesas já pagas.

Ainda houve R$ 7,5 milhões aplicados no pagamento por serviços de terceiros. Escritórios de advocacia receberam R$ 6,4 milhões por serviços prestados. R$ 4,5 milhões foram gastos com adesivos e R$ 2,3 milhões com aluguel de veículos.

Cinco fornecedores como gráficas e escritórios de advocacia já receberam mais de R$ 1 milhão, cada, por serviços realizados durante o pleito.