Copa: Qatar proíbe cerveja no entorno de estádios e gera crise na Fifa

O Governo do Qatar comunicou hoje (18) à Fifa que vai mudar a regra de venda de cerveja durante a Copa do Mundo. Inicialmente, o acordo previa a venda de álcool no perímetro dos oito estádios em que a competição será disputada, mas isso foi cancelado. As tendas venderiam a bebida no entorno das arenas três horas antes da partida e uma hora depois; agora, só vão comercializar cerveja sem álcool. A informação foi publicada pelo The New York Times e confirmada pelo UOL, que apurou detalhes nos bastidores.

A mudança causou grande insatisfação nos patrocinadores da Copa, especialmente a Budweiser, que é a fornecedora oficial de cervejas da competição. Um dos pontos de insatisfação foi o fato de a decisão ter sido anunciada a dois dias da estreia. A reportagem apurou que a determinação partiu diretamente da família real qatari. No domingo, o Qatar joga contra o Equador na abertura.

Desde o início do dia, Fifa e representantes da empresa se reuniram para conversar sobre o tema. Internamente, não ficou claro para membros e funcionários da entidade se a decisão foi tomada agora pelas autoridades ou se era algo já planejado mas que teve o anúncio adiado. Torcedores que viajaram ao Qatar tinham sido oficialmente informados de que o consumo de álcool seria liberado no entorno dos estádios.

A Budweiser foi contatada pela reportagem, mas ainda não se posicionou – a matéria será atualizada caso isso ocorra. A marca de cerveja publicou um tuíte dizendo apenas “Bom, isso é embaraçoso…”. Minutos depois, apagou a publicação.

A Fifa publicou uma nota nas suas redes sociais. “Depois de discussões entre as autoridades locais e a Fifa, foi decidido que a venda de bebidas alcoólicas será restrita à Fifa Fan Festival e a outros lugares licenciados destinados aos fãs, retirando os pontos de venda de cerveja do perímetro dos estádios da Copa do Mundo de 2022. Não haverá impacto na venda de Bud Zero, que vai continuar disponível em todos os estádios do Qatar”, diz o comunicado.

“As autoridades do país sede e a Fifa vão continuar garantindo que os estádios e o seu entorno tenham uma área divertida, respeitosa e prazerosa para todos os torcedores. A organização do torneio aprecia a compreensão da InBev e o suporte contínuo ao nosso objetivo de atender a todos durante a Copa de 2022”.

Com a troca, a cerveja com álcool passará a ser vendida apenas nas Fan Fest e nas áreas VIPs do estádio por aproximadamente R$ 75 por um copo de 500 ml. A previsão de venda no entorno, agora revogada, constava até do guia oficial disponibilizado para torcedores pela organização do torneio.

Por que a polêmica?

O Qatar é um país que segue as tradições da religião muçulmana, na qual é proibido o consumo de álcool. Para a realização da Copa, algumas normas foram flexibilizadas, incluindo a permissão de venda de cerveja em áreas próximas aos estádios nos dias de jogos —pelas regras normais, não é possível comprar ou consumir bebidas alcoólicas fora de estabelecimentos específicos ou sem autorização para isso.

Com a retomada da proibição, além das fan fests e dos espaços VIP nos estádios, só é possível consumir álcool em bares de hotéis licenciados ou com uma licença para consumo próprio.

Do Uol