Consórcio Intersal assume Porto-ilha e investirá R$ 160 milhões em 25 anos

O Consórcio Arrendatário Intersal, formado pelas empresas Intermarítima e Salinor, assumiu o Terminal Salineiro de Areia Branca (TERSAB) nesta terça-feira (01). O porto-ilha foi arrendado por R$ 100 mil e terá, ao longo dos próximos 25 anos, período de vigência do contrato de administração, investimentos da ordem de R$ 160 milhões. O Termo de Aceitação Provisória (TAP) foi assinado pelo  diretor-presidente da Codern, brigadeiro Carlos Eduardo da Costa Almeida, e pelo diretor da Intersal, Valmir Castro de Araújo, em cerimônia no Tersab, que a partir de agora para a se chamar TSI (Terminal Salineiro Intersal).

A Intermarítima e a Salinor estavam representadas, respectivamente, pelos diretores Ricardo Oliva e Rafael Mandarino. Pela Codern também estavam presentes o diretor técnico-comercial, Roberto Santoyo, e o Gerente Comercial, Lúcio Torres.

“É um dia muito importante e de vitória para a Codern, para o Rio Grande do Norte e para o Brasil. Os empregos foram não só preservados como ampliados. Estivemos sempre preocupados com as pessoas, ao mesmo tempo em que olhávamos para a economia e para o futuro. O Tersab tem um bonito horizonte pela frente”, afirmou o diretor-presidente da Codern, enaltecendo a importância da concretização do arrendamento.

O Tersab era o único Terminal do Brasil  ainda operado pelo Poder Público. Com o arrendamento, receberá uma série de  investimentos e modernização em sua infraestrutura. A meta do Consórcio Intersal é de dobrar a capacidade do terminal em até cinco anos, passando das atuais 2 toneladas/ano para 4 toneladas/ano. O potencial de armazenagem estática, que hoje é de 100 mil toneladas deve ser ampliado para 160 mil toneladas, também dentro dos próximos cinco anos. As informações foram dadas por Roberto Zitelmann, presidente do Conselho Intermarítima e um dos diretores do Intersal, em reportagem publicada na TRIBUNA DO NORTE no dia 12 de junho deste ano.

“Pretendemos dobrar a capacidade de embarque em cinco anos, com modernizações, investimentos em aumento de capacidade, novos equipamentos, na recuperação da ilha nova, dragagem, todos os itens que constam no edital, além de um aumento da eficiência, de treinamento da equipe através de novos processos e procedimentos. A armazenagem vai aumentar no momento em que a chamada ilha nova, que hoje se encontra fora de operação, for recuperada”, disse à época.

Com a expectativa de duplicar a capacidade de embarque de sal, que hoje é de 2 toneladas por ano, até 2027, o Rio Grande do Norte deve se consolidar ainda mais como o maior produtor do País. O Tersab tem um papel-chave nesse processo, já que é o principal responsável pela logística de distribuição do minério produzido nas salinas de Macau, Galinhos, Grossos e Mossoró, ao viabilizar o escoamento da produção para os mercados nacional e internacional.

O terminal salineiro abrange 35.114 m² e é subdividido em duas instalações principais: a de apoio e a de armazenagem. A estrutura de armazenagem corresponde ao pátio de estocagem estática de sal, que tem 15.000 m² de área e permite a estocagem de até 100 mil toneladas do minério, com pilhas de até 14 metros de altura. A outra parte do terminal inclui a estrutura de apoio com enfermaria, cozinha, refeitório, sala de rádio, escritório administrativo e alojamentos, além de uma área de lazer e heliponto na cobertura.

O Tersab passou por uma obra de reparo estrutural, abrangendo as instalações de armazenagem e de apoio, que teve um custo de R$ 58 milhões, com recursos da Codern. A manutenção executada pela Codern incluiu a recuperação das estruturas metálicas do cais de barcaça, do sistema de defensas (linha de dolfins), da ponte transportadora e da torre de transferência, além da implementação de uma nova usina de dessalinização. Os alojamentos, oficinas, unidade termoelétrica e prédio administrativo também estão sendo reformados para garantir maior conforto e segurança para os colaboradores.

Tribuna do Norte