Conheça o caça americano de R$ 485 milhões que desapareceu após piloto ejetar

Aeronave modelo F-35B Lightning II decola voo

As autoridades americanas encontraram, nesta segunda-feira, os destroços do caça F-35, que desapareceu no estado da Carolina do Sul após o piloto se ejetar no domingo. Fabricado pela Lockheed Martin, uma unidade do jato, que entrou em serviço em 2015, custa cerca de US$ 100 milhões, o equivalente a R$ 485 milhões.

O programa que levou ao desenvolvimento dos F-35 é considerado um dos mais caros da história dos Estados Unidos. Segundo a CNN, o projeto, ao longo de toda vida útil das aeronaves, deve custar US$ 1,7 trilhão aos cofres americanos.

O projeto do F-35 foi concebido para desenvolver caças versáteis, com unidades capazes de realizarem diferentes tarefas. No caso do modelo que caiu, o F-35B Lightning II, a aeronave é capaz de aterrisar verticalmente e decolar a curtas distâncias. Com isso, é ideal para bases aéreas curtas ou navios. Ele é operado pelo Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos, pelo Reino Unido e pela Força Aérea Italiana.

De acordo com o site da Lockheed Martin, o caça tem 15m de comprimento, 4,36m de altura e 10,7m de envergadura. Ele á capaz de levar dois mísseis ar-are duas bombas guiadas. A carga para armas é de 6,8kg. A aeronave também atinge uma velocidade de Mach 1.6, o equivalente a 548,8 m/s.

Uma outra aeronave semelhante já havia se acidentado em 2018, também na Carolina do Sul. Como consequência, toda a frota ficou paralisada, enquanto o caso era investigado.

O F-35B foi encontrado na tarde desta segunda-feira em Williamsburg County, na Carolina do Sul. A aeronave sumiu no domingo, após seu piloto ejetar. O jato continuou voo e desapareceu.

Os destroços foram encontrados na localidade de Indianatown. A informação foi confirmada ao canal de televisão NBC por oficiais da Base Conjunta Charleston, local de onde o caça havia partido.

“Os membros da comunidade devem evitar a área enquanto a equipe de recuperação protege o campo de destroços. O acidente está atualmente sob investigação e não podemos fornecer detalhes adicionais para preservar a integridade do processo investigativo. Gostaríamos de agradecer a todos os nossos parceiros de missão, bem como às autoridades locais, distritais e estaduais, pela sua dedicação e apoio durante a busca e durante a transição para a fase de recuperação”, afirmaram as autoridades em nota.

Segundo os militares, o piloto, que não foi identificado, chegou a solo em segurança, numa área residencial, e foi levado a um hospital local em condições estável de saúde. O nome dele não foi divulgado.

No momento do incidente, o caça e outro jato semelhante, ambos estimados em US$ 80 milhões (R$ 388 milhões), voavam lado a lado. Antes de pular de paraquedas, o piloto habilitou a função de piloto automático. A sargento Heather Stanton explicou à imprensa internacional que as buscas se concentram no Lago Moultrie, a cerca de 80 quilômetros de North Charleston.

O F-35 tem uma autonomia de até 1.900 milhas (pouco mais de 3 mil quilômetros). No entanto, não se sabe quanto combustível ele ainda tinha quando o piloto se ejetou.

Fonte: O Globo