Campanha contra gripe deve vacinar 58 milhões de pessoas

A Campanha Nacional de Vacinação contra a influenza começou no dia 10 e continua até 31 de maio, com o objetivo de imunizar 58,6 milhões de pessoas em todo o País.

Até o dia 18 deste mês, serão priorizadas crianças e gestantes, grupos mais vulneráveis às complicações causadas pelo vírus. Neste ano, a faixa etária do público infantil foi ampliada de até 5 anos para até menores de 6 anos, incluindo 2,8 milhões de crianças na campanha. Também gestantes e crianças poderão atualizar as demais vacinas previstas na Caderneta de Vacinação.

A partir do dia 22 de abril, a vacinação contra a influenza se estenderá aos demais públicos-alvo da campanha: trabalhadores de saúde; povos indígenas; puérperas (mulheres com até 45 dias após o parto); idosos (a partir dos 60 anos); professores; pessoas portadoras de doenças crônicas e outras categorias de risco clínico; população privada de liberdade, incluindo adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medida socioeducativa; funcionários do sistema prisional; além das gestantes e crianças de 6 meses a menores de 6 anos (5 anos, 11 meses e 29 dias).

No entanto, o Dia D de mobilização, em que postos de todo o Brasil estarão abertos, será em 4 de maio.

A escolha dos grupos que receberão a vacina segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Essa definição também é baseada em estudos epidemiológicos e no comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. Por isso, são priorizadas as populações com maior chance de complicações e óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave. Neste ano, até 23 de março, foram registrados 255 casos de influenza em todo o País, com 55 óbitos. O subtipo predominante no Brasil é influenza A H1N1, com 162 casos e 41 óbitos.