Biblioteca Indústria do Conhecimento se chamará “Poeta Chico Mota”

chico-mota-1O prefeito em exercício de Caicó, Oriel segundo de Oliveira (PR) enviou projeto de lei para a Câmara Municipal, denominando de “Poeta Chico Mota” a Biblioteca Indústria do Conhecimento, construída na Praça Dom José Delgado, através de uma parceria entre o Município, o SESI, Fiern, IEL e Senai.

Para Oriel, trata-se de uma justa homenagem, haja vista a contribuição que Francisco Fernandes Mota deu a cultura caicoense, seja através das ondas do rádio com seu programa Violeiros do Seridó (Rádio Rural AM), e em seus poemas, poesias e canções. O projeto vai ser votado na sessão da próxima segunda-feira (08).

Quem é Chico Mota?
Francisco Fernandes da Mota foi um poeta, violeiro, repentista e cordelista. Nasceu aos 23 de outubro de 1924, filho de Henrique Ferreira da Motta e Maria Elvira Fernandes, na Fazenda Dinamarca, município de Catolé do Rocha, Paraíba. Começou a trabalhar na agricultura aos 10 anos de idade e viveu na zona rural até 1963. Em 1949, deu início à profissão de violeiro. Em 1955, na cidade de São Bento (PB), casou-se com Hermínia Joaquina Alves, com quem viveu até o dia de seu falecimento e lhe deu uma prole de 10 filhos. Em 1º de maio de 1963, criou, juntamente com o violeiro-repentista José Soares Sobrinho (in memoriam), o programa de rádio Violeiros do Seridó.

Em sua trajetória como poeta, é autor de vários cordéis e publicou 4 livros: Veredas Nordestinas, Trovas etc. (contos), Violas e Cantadores e A Saga de um Bandoleiro no Oeste Potiguar. Gravou 5 CDs, sendo 4 em parceria com outros cantadores. Foi sócio efetivo do Clube dos Trovadores do Seridó/CTS, ocupando a cadeira número 9, que tem como patrono Júlio César da Câmara. Foi membro da Academia de Trovas do Rio Grande do Norte – ATRM, ocupante da cadeira número 38, cujo patrono é o acadêmico José Gotardo Emerenciano Neto.