Para CNBB, denúncias da JBS causam “espanto e indignação”

Da Veja – Em nota oficial divulgada nesta sexta-feira, a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), representação mais importante da Igreja Católica no país, declarou que “acompanha, com espanto e indignação, as graves denúncias de corrupção política acolhidas pelo Supremo Tribunal Federal”.

Homologada pelo STF, a delação premiada do empresário Joesley Batista contém acusações contra nomes importantes da política brasileira, incluindo gravações com o presidente Michel Temer (PMDB) e o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG).

Na avaliação da CNBB, os fatos narrados demandam “rigorosa apuração, obedecendo-se sempre as garantias constitucionais” e, uma vez apurados, “os autores dos atos ilícitos devem ser responsabilizados”. A Confederação ressalta que cabe a todos os servidores públicos manter uma “conduta íntegra, sob pena de não poder exercer o cargo que ocupa”.

Assinado pelo cardeal Sergio da Rocha, arcebispo de Brasília, o texto diz que “é necessário que saídas para a atual crise respeitem e fortaleçam o Estado democrático de direito”. Ele ressalta que a situação “exige o resgate da ética” e um “novo modo de fazer política, alicerçado nos valores da honestidade e da justiça social”.