Marcos Dantas

Natal teve a maior alta de homicídios do país


Com aumento de 97% no número de homicídios entre 2014 e 2015, Natal se tornou a capital mais violenta do país. No restante do Estado, a situação não é diferente. O Rio Grande do Norte obteve, no mesmo período, a mais alta variação no quantitativo de Mortes Violentas Intencionais (MVI), com 39,1%. O percentual é mais que o dobro em relação ao segundo colocado, Sergipe, com 19%. Os dados integram o 10º Anuário Brasileiro da Segurança Pública, organizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) que será publicado integralmente semana que vem. O documento detalha, ainda, que 160 pessoas são mortas violenta ou intencionalmente no Brasil por dia. No ano passado, 58.383 pessoas foram assassinadas em todo o País – uma a cada nove minutos.

Apesar de amargar o pior índice em relação ao aumento no número de homicídios em 2015, o Rio Grande do Norte não é considerado o estado mais violento pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. O Estado potiguar, com taxa de 48,6 homicídios por grupo de 100 mil habitantes, só fica atrás de Sergipe e Alagoas. Em números absolutos, o Rio Grande do Norte contabilizou 1.672 Mortes Violentas Intencionais no ano passado. Estas incluem, segundo o FBSP, os crimes de homicídio doloso (que inclui as mortes decorrentes de intervenções policiais em serviço), latrocínio, lesão corporal seguida de morte e mortes decorrentes de intervenções policiais em serviço e fora desse. O estado sergipano é considerada a unidade federativa mais violenta do Brasil pois ostenta a negativa taxa de 55,4 mortes violentas por cada 100 mil habitantes. Em Alagoas, a taxa é de 50,8.