Incêndio destrói mais de 400 hectares de Mata Atlântica no Rio Grande do Norte

185342

Da Tribuna do Norte – Um incêndio que se iniciou na última sexta-feira (7) na Mata do Pilão, no município do Espírito Santo, Litoral Sul do Rio Grande do Norte, está colocando em risco os resquícios de Mata Atlântica presente na região. O Corpo de Bombeiros encontra-se no local desde sábado (8) com uma unidade na tentativa de conter as chamas, mas sem sucesso. Estima-se que, até o momento, ao menos 400 hectares de mata foram comprometidos pelo incêndio.

O Secretário de Recursos Hídricos, José Mairton Figueiredo, afirma que o Gabinete Civil e o Governador já foram informados da situação. A secretaria, no momento, aguarda a avaliação de danos que está sendo realizada pelo Corpo de Bombeiros e o IDEMA e estuda a possibilidade de solicitar a ajuda do Exército, Base Naval e reforços da Paraíba, a depender do resultado da avaliação. As prefeituras da região também foram acionadas para prestar ajuda.

De acordo com a bióloga especialista em fauna silvestre e presidente do Comitê de Bacias do Rio Pitimbu Rose Dantas, o impacto do incêndio é enorme para a biodiversidade da região “além da mata queimada, temos anfíbios, répteis, mamíferos e aves todas mortas. O impacto é muito grande em cima da fauna e também em cima dos recursos hídricos, pois essa área tem quatro nascentes importantes do rio do Salto”, disse. O rio do Salto é de grande importância para o abastecimento da região do “Cinturão Verde” do Litoral Sul.

“Nessa mata nós temos os últimos remanescentes de jaguatirica, um animal que consta em lista de extinção”, complementa Rose. A região da mata do Pilão é uma das últimas que ainda possuem a presença da mata atlântica no Rio Grande do Norte.