Marcos Dantas

Igreja e organismos sociais planejam uma Pastoral para a Promoção da Justiça


dom-jaime-jose-bezerra

Elaborar uma proposta para implantação da “Pastoral para a Promoção da Justiça” é o objetivo de um encontro que ocorre nestes dias 27 e 28 de outubro, no Centro Pastoral Dom Heitor de Araújo Sales. A proposta é da Arquidiocese de Natal, “por manifesta vontade do Arcebispo Metropolitano, Dom Jaime Vieira Rocha, com a criação e instalação do Tribunal Eclesiástico da Província Eclesiástica”, escreve o Diác. Francisco Teixeira, advogado e procurador da Arquidiocese, em artigo publicado na revista A Ordem, de setembro deste ano.

A proposta envolve vários organismos da Igreja Católica do Rio Grande do Norte, entre os quais o Serviço de Apoio aos Projetos Alternativos Comunitários (Seapac), a Cáritas Diocesana de Caicó, Pastoral da Criança, assessoria jurídica e de assistência social da Arquidiocese de Natal. Um dos objetivos da Pastoral está explícita no artigo já citado, escrito pelo Procurador da Arquidiocese, Diác. Francisco Teixeira: “oferecer às pessoas mais necessitadas e suas organizações o serviço de assistência e orientação jurídica na seara civil, complementar ao Direito Canônico”.

Os dois dias de estudos, debates e entendimento do que seja uma Pastoral para a Promoção da Justiça terão a assessoria da socióloga e empreendedora Luciana André. Os 15 participantes do encontro são envolvidos ou já se envolveram com ações de pastorais sociais da Igreja Católica no Rio Grande do Norte. Eles tentarão construir um “cenário social” da área de atuação da futura pastoral; definir objetivos, metas e atividades; identificar fontes de recursos para as ações; elaborar ferramentas e instrumentos de coleta de dados e registros; e organizar um fluxo de atendimento, monitoramento, avaliação e sistematização das ações.