Entenda a relação entre o ciclo menstrual e o rendimento físico

mulher-correndo

O período do ciclo menstrual é um dos momentos em que a mulher está mais sensível às pressões do dia-a-dia. Essa reação tem explicação na fase chamada TPM (Tensão Pré Menstrual), que é o período que ocorre uma queda da concentração de progesterona, e com isso, a redução de desempenho, retenção hídrica e aumento do cansaço e sensibilidade.

É durante o ciclo menstrual que algumas vezes o consumo de alimentos fica mais alto, incluindo aqueles com maior teor de sódio, podendo prejudicar o resultado dos exercícios já que o sódio pode causar inchaço devido a retenção de líquido.

Segundo Monica Cavalcanti, ginecologista do Hapvida, para as mulheres que usam a pílula anticoncepcional o ideal é buscar o melhor método para o funcionamento do seu corpo. Algumas pílulas podem contribuir para o ganho de peso, isso acontece porque algumas delas possuem um nível alto de estrogênio, sendo responsável pela retenção de líquido no corpo, que pode aumentar o peso.

“Muitas vezes um anticoncepcional “engorda” um paciente e “emagrece” a outra. Deve-se prestar atenção sobre o estilo de vida que a mulher está levando no momento, pois atividades físicas, dietas e estresse do dia-a-dia são fatores decisivos. Alguns tipos de hormônios presentes no anticoncepcional podem aumentar a retenção hídrica e o peso, mas tais efeitos tendem a desaparecer após 3 meses de uso”, explica.

No entanto, para aquelas que praticam atividade física de forma intensa e regular, com níveis altos de treinamento, como é o caso das atletas, pode acontecer de ter pouco ou nenhum fluxo menstrual, que revela uma alteração em hormônios androgênicos, ao ponto de ficarem em amenorreia (sem menstruar). O ideal é que a atividade seja praticada de forma moderada.

“O exercício, quando executado moderada e frequentemente, estimula o organismo a liberar endorfina, substância ligada diretamente ao bem-estar que reduz o estresse e, com isso, ajuda a regularizar a menstruação. Um treino muito pesado, exigindo além das capacidades corporais, favorece a liberação da prolactina – hormônio que pode provocar falhas na menstruação”, alerta a especialista.