Marcos Dantas

Doria quer se vestir de gari e varrer rua em estreia na prefeitura de SP


joao-doria

O prefeito eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), definiu que o seu primeiro compromisso de governo será varrer ruas vestido de gari. No dia 2 de janeiro, o novo governo prepara uma ação de limpeza nas principais vias da cidade. Doria tem dito que estará com uma vassoura nas mãos e “vestido à caráter” a partir das 6 horas ao lado de uma das equipes de varrição.

A operação está sendo chamada de “Cidade Linda” e ainda não tem data para chegar à periferia. Na semana passada, o prefeito eleito se reuniu com os futuros secretários e um grupo de empresários responsáveis pelos serviços de zeladoria da capital para organizar a estreia no governo. O objetivo é que equipes de limpeza, conservação de jardins, conservação de monumentos, manutenção das calçadas, recuperação de semáforos e iluminação púbica, operação tapa buracos e desentupimento de bueiros estejam nas ruas desde cedo.

O prefeito eleito tem prometido um choque de gestão. Mas não é a primeira vez que um prefeito paulistano recorre a ações de zeladoria como marketing de governo. Em 2001, Marta Suplicy, hoje senadora pelo PMDB, criou o programa “Belezura” dias após tomar posse. A limpeza naquele ano começou pelo Estádio do Pacaembu. A ação foi alvo de uma manifestação de jovens que pediam atenção da prefeitura também com a periferia.

Os serviços que não estiverem cobertos por contratos em vigor com a prefeitura serão executados sem custos para o município, de acordo com a assessoria de Doria. Parte será custeada por entidades sindicais patronais como o Sindicato da Construção (Sinduscom), Sindicato das da Habitação (Secovi) e a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc).