Marcos Dantas

Citada em investigação da Lava Jato, ETE do Baldo contou com investimento de R$ 84 milhões


Inaugurada em 30 de março de 2010, a Estação de Tratamento de Esgotos Dom Nivaldo Monte, no Baldo, contou com um investimento de R$ 84 milhões, financiados pela Caixa Econômica Federal. A obra foi executada pela Odebrecht e está listada entre os 38 negócios identificados nos registros de pagamentos do Setor de Operações Estruturadas da empresa – o chamado “departamento da propina” – nas apurações da 35ª fase, batizada de Operação Omertà, que prendeu nesta segunda-feira, 26, o ex-ministro Antonio Palocci.

ETE Baldo

O equipamento, que coleta e trata esgotos de 21 bairros de Natal, a fim de despoluir o rio Potengi, foi inaugurado durante o governo Wilma de Faria, período em que o diretor-presidente da Companhia de Águas e Esgoto do Rio Grande do Norte (Caern) era Walter Gasi.

Dos R$ 84 milhões investidos na ETE, R$ 30 milhões foram aplicados em equipamentos de última geração. Um deles, fabricado na Alemanha, é utilizado na desinfecção por raios ultravioleta. Adotando esse sistema a Caern dispensa uso de produtos químicos e evita contato humano graças a automação da maior parte dos serviços.