Marcos Dantas

Banco do Nordeste planeja crédito em infraestrutura recorde no ano que vem


Neste ano, o Banco do Nordeste concedeu empréstimos em projetos de infraestrutura aquém dos feitos no passado, mas, em 2017, o valor deverá ser um recorde positivo.

A instituição tem planos de destinar R$ 6,3 bilhões a concessões de aeroportos, saneamento e tratamento de água, além de geradores de energia eólica, diz Francisco José Bezerra, superintendente de políticas de desenvolvimento.

“Até 2012, trabalhávamos muito com energia. Naquele momento, o BNDES não atuava nesse mercado. Foi quando o governo disse que o banco deveria se reposicionar e priorizar as pequenas empresas”, afirma Bezerra.

Nos últimos anos, o BNB atuou em infraestrutura de maneira marginal, segundo o executivo, mas agora “há sinalização positiva, e vamos voltar com força no setor.”

Parte dos aportes está comprometida: R$ 2,2 bilhões vão para projetos de energia que já venceram leilões.

“As concessionárias vão demandar R$ 7 bilhões de investimento. Nós capturamos R$ 2,2 bilhões, e outros atores, como o próprio BNDES, financiam outras partes.”

O dinheiro do Banco do Nordeste vem do FNE, um fundo de financiamento para a região, que foi estabelecido pela Constituição e é composto por parte do Imposto de Renda e do IPI.