Vice-presidente explica que ACAPAM deve encerrar atividades quando todos os animais forem castrados e colocados para adoção

Em entrevista ao Panorama 95 desta quarta-feira (11) a vice-presidente da ACAPAM, Joelma Santos confirmou que a associação foi praticamente obrigada a tomar a decisão de encerrar as atividades, diante do quadro de dificuldades que enfrenta ao longo dos últimos anos.

Infelizmente, essa é a única saída. Nós conseguimos com Arthur Maynard e Rafael Mota uma emenda para castrações, vamos castrar todos os animais e encerrar nossas atividades, porque é muito desgastante, muito sofrimento. A gente viver mendigando ajuda e não tem. Está cada vez mais difícil. A gente não faz mais resgate (de animais), mas mesmo assim vão soltar animais lá e a gente não tem mais condições nenhuma de continuar”, explicou.

Joelma explicou que a ACAPAM não vai deixar de existir de imediato, já que os animais que estão lá permanecerão sendo cuidados pela Associação. “Nós somos responsáveis pelos animais que estão lá. Então, a gente vai continuar o processo de castração, quando forem todos castrados, que a gente conseguir colocar todos para adoção, nosso objetivo é fechar sim. É um pedido de socorro também, já que estamos sem condições de dar o básico pra eles”. O anúncio do fim das atividades da ACAPAM acontece dois dias após a Associação ter se reunido com o prefeito Dr. Tadeu para discutir a liberação de emendas impositivas. Joelma fez uma avaliação positiva da reunião, mas reconhece que as emendas não são necessárias para resolver a situação, que pede urgência, da Acapam.

A reunião com o prefeito foi proveitosa. As emendas nos ajudam em partes, porque vamos receber parcelado. Mas como tem a parte burocrática e nós estamos precisando de ajuda com urgência, a gente tem um boleto de R$ 9.000,00 para pagar de ração. Se a gente não pagar esse boleto, a gente não consegue fazer um novo pedido, e não depende dele (o prefeito) a gente receber essas emendas de imediato. A gente entende que tem a parte burocrática e demora um pouco, entendeu? Mas só que para amanhã a gente não tem ração pra botar para eles, infelizmente. A ração que tem lá, já tem pouquíssima ração, acho que só vai alimentar um canil. Se tirarmos o dinheiro que já tem conta, que a gente está juntando, para pagarmos o boleto, para pagar ração aqui, a ração comprada no comércio é cara. Isso a gente compra direto do fornecedor e pronto…”, ponderou.

Com uma despesa mensal de 10 mil reais, atualmente a ACAPAM conta com 163 cachorros e 200 gatos. De acordo com Joelma apesar das dificuldades todos os animais são tratados com muito carinho.

Eles estão bem, a nossa prioridade é o bem-estar deles. Eles comem ração de boa qualidade A gente comprava a água para eles beberem, porque antigamente era água salobra. Eles viviam doentes. A gente começou a comprar água, falamos com o prefeito, ele disponibilizou carro pipa agora para abastecer toda semana. Lá é tudo limpo, tudo organizado. E o perrengue demais é financeiro, porque a gente não tem condições, entendeu? Já que a gente só tem doações”, explicou.

Existem várias formas de ajudar a ACAPAM. A começar de uma rifa com quatro kits de brindes, e o bilhete custa apenas 2 reais que podem ser adquiridos pelo contato (84) 99859-0593, ou fazendo sua doação diretamente pelo PIX da própria ACAPAM: CNPJ – 20.326.345/0001-47.

Confira entrevista com Joelma Santos