Tragédia no Rio Grande do Sul registra 151 mortes

14.05.2024 - Imagens aéreas de Porto Alegre e Região Metropolitana
PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 14.05.2024 - Imagens aéreas de Porto Alegre e Região Metropolitana na tarde de terça-feira, 14 de maio de 2024.

Foto: Mauricio Tonetto / Secom -  (crédito: Foto: Mauricio Tonetto / Secom)
14.05.2024 - Imagens aéreas de Porto Alegre e Região Metropolitana PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 14.05.2024 - Imagens aéreas de Porto Alegre e Região Metropolitana na tarde de terça-feira, 14 de maio de 2024. Foto: Mauricio Tonetto / Secom - (crédito: Foto: Mauricio Tonetto / Secom)

Subiu para 151 o número de vítimas fatais na maior tragédia climática do Rio Grande do Sul. Nesta quinta-feira (16/5) a Defesa Civil confirmou 151 mortes no estado. O munícipio com maior número de vítimas é Canoas, onde 19 pessoas morreram. Na sequência, Roca Sales, Cruzeiro do Sul, Caxias do Sul com dez mortes cada, e Bento Gonçalves com 9 vítimas. 

Em todo estado, 104 pessoas continuam desaparecidas. O nome das vítimas e dos desaparecidos foi divulgado pelo governo do estado e está disponível nesta lista. 

Desde o dia 29 de abril o estado do Rio Grande do Sul enfrenta uma tragédia climática que já atingiu 458 municípios. Mais de meio milhão de pessoas ficaram desalojadas e 77.199 estão nos 830 abrigos públicos distribuídos pelo estado. No total, 2.281.774 pessoas foram afetadas. 

Nesta quinta-feira (16/05) as aulas foram retomadas, com restrições, no município de Lajeado. As crianças que estudavam em escolas atingidas pelas cheias foram realocadas em outras unidades.

 

 Análises iniciais do governo do estado indicam que a reconstrução de Rio Grande do Sul custará pelo menos R$19 bilhões de reais. O governo federal já fez liberações e aportes na ordem de R$51 bilhões de reais e anunciou, nesta quarta-feira (15/5) um depósito de R$5.100 para as famílias atingidas. Além disso, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva se comprometeu a entregar mais de 5 mil unidades habitacionais para as pessoas que perderam as casas durantes as chuvas. 

 

 

Fonte: Correio Braziliense

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.