Solo em Maceió está se acomodando “da melhor forma”, diz Braskem

Roberto Bischoff
O diretor-presidente da Braskem, Roberto Bischoff, durante evento da Abiquim (Associação Brasileira da Indústria Química)

O CEO da Braskem, Roberto Bischoff, disse nesta 2ª feira (4.dez.2023) haver “bons indicativos” de que o solo do terreno da mina 18, em Maceió, está “se acomodando da melhor forma” e de maneira gradual. A declaração foi dada durante evento promovido pela Abiquim (Associação Brasileira da Indústria Química).

Em sua fala, afirmou que, quando foi levantada a possibilidade de um afundamento mais acelerado do solo, no final de novembro, toda a região já estava desocupada, com exceção de “23 de famílias resistentes que não aceitaram sair do bairro”. Os moradores foram realocados pela Defesa Civil de Maceió, por determinação judicial, no sábado (2.dez).

“Imediatamente, Braskem interrompeu a produção das minas de sal, haviam 4 minas de sal naquele momento, contratou especialistas nacionais e internacionais para entender o fenômeno. É um fenômeno complexo”, afirmou.

O executivo disse que a situação em Alagoas não é um problema específico da Braskem e que a empresa se envolve com o assunto desde 2018 trabalhando em 3 frentes: realocação dos moradores da área; desligamento de minas e obras sociais. “Estamos fazendo há mais de 4 anos esse processo sem colocar em risco as pessoas”, disse.

Além disso, afirmou que a “discussão política” tem distorcido as informações sobre o trabalho da empresa no caso do afundamento de mina em Maceió.

Infelizmente, [o assunto] entra em uma discussão política em que a gente acaba tendo informações distorcidas, rede social. E eu queria aproveitar o momento para compartilhar com vocês o nosso compromisso, que não é de agora, vem de longo prazo, com essa situação”, afirmou.

Assista (5min9s):

Fonte: Poder360

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.