Sesap alerta para a importância da notificação do autoteste para Covid-19

Desde o início do ano, a população brasileira pode realizar o autoteste para Covid-19. A liberação, no entanto, não afasta a necessidade de notificar os casos. Para isso, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap) do Rio Grande do Norte conta com a plataforma Notifica RN.

O registro de casos, sejam positivos ou negativos, deve ser feito de forma imediata através do sistema de informação disponível na plataforma (https://notificarn.saude.rn.gov.br/Publico-Auto-Teste), mantendo a Sesap informada sobre a situação epidemiológica do estado e com condições de traçar as estratégias corretas para o enfrentamento.

“A Sesap desenvolveu uma série de estratégias para garantir a notificação de todos os exames realizados tanto nas redes assistenciais, nos serviços de saúde ou o autoexame que é comprado em farmácia. Para isso disponibilizamos, de forma pioneira no Brasil, a plataforma Notifica RN. Ela é intuitiva, para que o cidadão possa fazer o registro do resultado para Covid-19 e assim seja possível ter a clareza e os dados mais precisos com relação ao adoecimento aqui no Rio Grande do Norte”, disse Kelly Lima coordenadora de Vigilância em Saúde da Sesap.

A notificação deve ser feita em até 24 horas após o teste, seja positivo ou negativo. Após utilizado, o material deve ser descartado em local adequado conforme as normas sanitárias. É importante ressaltar que todas as informações são sigilosas e são inseridas no sistema automaticamente. “Quanto mais testes positivos, maior o número e o impacto na rede assistencial. Por isso é fundamental ter o registro desses testes e assim garantir o mapeamento e as ações efetivas e oportunas para as demandas que possam vir para o nosso Estado”, complementou Lima.

Caso seja positivo, o paciente deve permanecer em isolamento por dez dias, a contar do início dos sintomas e seus contatos domiciliares. É fundamental realizar atendimento clínico imediato, além de monitorado pela vigilância epidemiológica e atenção primária à saúde, prioritariamente. “Dessa forma vamos garantir que esta nova onda que estamos seja mais controlada e com menos consequências graves. Reforçando ainda a importância do reforço da vacina para os grupos indicados”, finalizou a coordenadora.