Rússia inicia exercícios com armas nucleares táticas perto da Ucrânia

Trecho de vídeo divulgado pelo Ministério da Defesa da Rússia mostra as forças de mísseis realizando exercícios táticos de armas nucleares no distrito militar do sul do país
Trecho de vídeo divulgado pelo Ministério da Defesa da Rússia mostra as forças de mísseis realizando exercícios táticos de armas nucleares no distrito militar do sul do país — Foto: Ministério da Defesa da Rússia/AFP

A Rússia anunciou, nesta terça-feira, o início de exercícios com armas nucleares táticas perto da Ucrânia, no que disse ser uma resposta às “ameaças do Ocidente” no contexto da guerra travada no Leste Europeu. O exercício vem em um momento em que Kiev pede cada vez mais ajuda dos aliados da Otan para conter o avanço russo no front.

O Ministério da Defesa russo anunciou que os exercícios testariam a “prontidão” das suas “armas nucleares não estratégicas” a fim de “garantir a integridade territorial e a soberania do Estado russo” e seriam uma “resposta a declarações provocativas e ameaças de certas autoridades ocidentais”.

Os exercícios militares já haviam sido ordenados pelo presidente da Rússia, Vladimir Putin, no começo de maio, mas sem uma data precisa. Na época, o Ministério da Defesa russo disse que a ideia seria praticar o possível uso de armas nucleares no campo de batalha. A pasta também havia anunciado a participação de forças aéreas e navais, bem como tropas próximas da fronteira, incluindo territórios ucranianos ocupados, que Moscou incorporou ao seu território.

O uso de armamentos nucleares — não necessariamente bombas atômicas — são motivo de preocupação desde o início da resistência ucraniana, após a invasão russa, em fevereiro de 2022. Ao longo dos mais de dois anos de guerra, houve momentos em que a tensão foram maiores. Em junho do ano passado, Putin afirmou que havia enviado armas nucleares táticas à Bielorrússia. Após o primeiro anúncio sobre o treinamento atual, em maio, o presidente do país, Alexander Lukashenko, ordenou a inspeção de lançadores de armas nucleares táticas russas em seu território.

O treinamento ocorre em um momento de conquistas para a Rússia no campo de batalha. Autoridades confirmaram que as forças russas avançaram, nesta terça-feira, da parte central de Vovchansk, no nordeste da Ucrânia. O chefe da administração militar de Kharkiv, Roman Semenukha, afirmou na segunda-feira que as forças ucranianas perderam cerca de 40% da cidade.

Vovchansk, que fica a apenas oito quilômetros da fronteira russa, tem sido o principal alvo da ofensiva de Moscou. Tanto as autoridades dos EUA como o presidente Vladimir Putin, da Rússia, disseram que a ofensiva faz parte de um esforço para estabelecer uma zona tampão.

A intenção, dizem analistas e oficiais militares, é afastar as forças ucranianas da fronteira, para evitar que atinjam cidades russas com artilharia. Nesta terça-feira, ataques aéreos ucranianos mataram uma pessoa na província russa de Belgorod, e outras duas em um território ocupado pelo país, no Leste da Ucrânia.

— As forças do Kremlin tentarão fazer mais avanços nas próximas semanas e tentarão criar uma zona tampão ao longo da fronteira com a Ucrânia — disse o secretário da Defesa dos EUA, Lloyd Austin, na segunda-feira, durante uma reunião com aliados ocidentais de Ucrânia. (Com AFP e NYT)

*matéria em atualização

Fonte: O Globo

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.