RN tem mais de 1 milhão de pessoas com a vacina contra covid-19 atrasada

O Rio Grande do Norte soma 1.014.453 pessoas que ainda não receberam a segunda e a terceira doses da vacina contra a covid-19, de acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap). Os números indicam que 255.141 cidadãos estão com a D2 atrasada, ao passo que 759.390 não receberam a primeira dose de reforço contra a doença, a chamada D3. A Sesap classifica o cenário como “inquietante” e aposta em estratégias como a realização de um ‘Dia D’ no próximo sábado (25) para reduzir a quantidade de pessoas com doses em atraso.

A maior parte dos potiguares com o esquema vacinal incompleto se concentra na população dos 18 aos 39 anos. São 440.427 pessoas sem a D3 nessa faixa etária. A Sesap também chama atenção para o baixo número de crianças (dos 5 aos 11 anos) que receberam a D2 no Estado: apenas 38% do público-alvo (129.884). As doses em atraso para essa faixa etária somam 60.684. Já entre as crianças que receberam a D1, a cobertura vacinal é de 63%, com 212.436 vacinados.

Para a coordenadora de Vigilância em Saúde da Sesap, Kelly Lima, a baixa adesão está ligada a fatores como disseminação de notícias falsas sobre o tema e dificuldades de acesso aos imunizantes que protegem contra os casos graves da doença. A gestora da Sesap alerta  sobre a importância de completar a vacinação, conforme preconizado pelo Ministério da Saúde.  “Não adianta iniciar o esquema e não completá-lo”, afirma.

Kelly Lima avalia que os municípios precisam agir de forma criativa para atrair o público à vacinação. Segundo ela, a Sesap tem atuado para auxiliar no desenvolvimento de ações que despertem o interesse da população pelo processo de vacinação. “Estamos desenvolvendo uma série de estratégias para ampliar a cobertura, com estratégias que vão desde vacinação nas escolas, ampliação de horário junto aos municípios [para aplicação de doses], realização de Dia D e outras estratégias de vacinação itinerante. É preciso que a busca ativa nos municípios seja efetiva na movimentação de trazer as pessoas à imunização”, destaca.

A coordenadora  de Vigilância em Saúde da Sesap disse, ainda, que a população precisa se conscientizar sobre a importância da vacinação para a redução dos casos graves e de óbitos relacionados à infecção por covid-19.   “Nós  observamos que, neste mês de junho, todos os óbitos registrados até agora são de pessoas com o esquema vacinal incompleto. Isso é um grande sinalizador de que as pessoas que iniciaram o esquema e não completaram  estão sem proteção contra a covid-19”, alerta.

 

Idoso acamado espera por  vacina há um mês

Enquanto parte da população parece não dar atenção à completude do esquema vacinal, tem quem busca pelo imunizante mas esbarra nas dificuldades de acesso. Cibelle Ribeiro tenta, há mais de um mês, imunizar o pai, que está acamado há dois anos, após cair e quebrar o fêmur. A Secretaria de Saúde de Natal (SMS/Natal) disponibiliza equipes para vacinar, em domicílio, a população acamada e que, portanto, não tem condições de procurar um posto de imunização.

José Ribeiro Sobrinho, de 84 anos, pai de Cibelle, recebe os cuidados de uma empresa de Home Care e mantém contato diário com pessoas da equipe, que vão à casa dele para fazer os acompanhamentos em saúde. Além da queda, o idoso convive com a doença de Parkinson há alguns anos, que provocou o atrofiamento de alguns membros. Todos esses fatores, aliados à incompletude do esquema vacinal, preocupam Cibelle.

“A gente vê campanhas pedindo para as pessoas se vacinarem, porque os números estão baixos, mas como meu pai vai fazer isso? Não há o que fazer, porque não posso colocá-lo na ambulância do Home Care e levá-lo para um drive-thru. Na Unidade Básica de Saúde [UBS], a equipe não vai vacinar o paciente dentro do carro”, reclama.

Segundo ela, o pai não enfrentou dificuldades para receber as três primeiras doses. Agora, além da D4, ela tenta conseguir a vacina contra a Influenza. “Fiz o cadastro na UBS do Tirol para que ele fosse vacinado em casa e, tanto nas três primeiras  doses, ele foi vacinado em menos de uma semana após minha procura”, afirma Cibelle. “Desta vez, com a D4, entrei em contato com a UBS e me disseram que eu precisava fazer um cadastro no Distrito Leste. Liguei para lá, fui até a sede, na Ribeira, e até agora, nada”, acrescentou.

Cibelle disse que o único retorno recebido do Distrito é que há somente uma equipe no setor para atender à demanda e que uma vez por semana, às quintas-feiras, é que os profissionais fazem os atendimentos em domicílio. A TRIBUNA DO NORTE procurou a SMS/Natal para comentar o caso. A pasta informou apenas que a expectativa é que o idoso seja vacinado em breve. A pasta não explicou sobre o motivo da demora. Questionada se existem outras pessoas em situação semelhante, a SMS não respondeu. Segundo a pasta, em Natal há 2.942 pessoas acamadas.

No entanto, a Secretaria não divulgou quantas desses pessoas já receberam a 4ª dose da vacina contra a covid-19. “Cada Distrito Sanitário possui uma equipe para atendimento domiciliar e não existe demora para vacinar os pacientes.  Assim como a D1, D2 e D3 foram aplicadas nos acamados, toda vacinação dessas pessoas está garantida. O Distrito é responsável pela rota dos domicílios e fará a imunização dessa população”, disse a SMS em nota.

Vacina contra Influenza tem baixa adesão

Para tentar ampliar o número de vacinados no Rio Grande do Norte, a Sesap irá realizar, no próximo sábado (25), mais um ‘Dia D’ de vacinação. É o Arraiá de Imunização, que contempla, além da aplicação de imunizantes contra a covid-19, a disponibilização de vacinas contra Influenza e  sarampo. A recomendação da pasta é para que todos os municípios do RN mantenham seus pontos de vacinação abertos, das 8h às 17h.

A partir deste dia, a vacina contra a Influenza será aberta para todos os públicos, a partir dos 6 meses de idade. De acordo com dados da Sesap, 68% do público-alvo no Rio Grande do Norte está imunizado contra a doença, no entanto, apenas 36,71% dos vacinados pertencem aos grupos prioritários preconizados pelo Ministério da Saúde (idosos, crianças e gestantes, dentre outros).

A meta geral de cobertura é de 95%. “A adesão ainda é baixa, infelizmente. Nós temos a perspectiva de, no próximo dia 25 ampliar a vacinação contra a Influenza para toda a população do Estado exatamente para que nós consigamos que a família estará toda incluída nesse processo de vacinação”, explica Kelly Lima, da Sesap.

Para isto, a Sesap está distribuindo 120 mil doses da vacina contra a Influenza e 100 mil doses dos imunizantes contra a covid-19, para que a população complete seu esquema vacinal. Atualmente o segundo reforço (D4) está disponível para idosos, profissionais de saúde, imunossuprimidos e população geral acima dos 40 anos de idade.

Ainda para tentar reduzir o número de não vacinados no Estado, a Sesap firmou uma parceria com a Secretaria de Educação do Estado (SEEC) para o projeto Minha Escola Nota 10. O projeto inclui vacinação contra a covid-19 e também outras vacinas do calendário infantil. O projeto passou por oito escolas de Extremoz e está em Parnamirim até o próximo dia 27, com ações em 18 unidades de ensino.

O Rn e mais 16 unidades federativas do Brasil apresentaram  indícios de crescimento na tendência de longo prazo (últimas seis semanas) até a Semana Epidemiológica 23 – de 5 a 11 de junho – para casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). De acordo com o mais recente Boletim Infogripe,  casos de covid correspondem a 71,2% das ocorrências de SRAG.

 

Do Tribuna do Norte