RN imuniza 91,04% do rebanho contra febre aftosa e conquista um dos maiores índices vacinais do Nordeste 

A primeira etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa registrou balanço positivo no Rio Grande do Norte. Com mais de 90% de imunização do rebanho, o Estado obteve uma das maiores coberturas vacinais de toda a região nordeste, totalizando mais de 928 mil animais imunizados.

Iniciada em junho, a primeira etapa da campanha precisou ser prorrogada até o fim da primeira quinzena de julho, devido à baixa adesão dos produtos em decorrência da pandemia do Coronavírus.

“Prorrogamos as datas da campanha por causa das dificuldades enfrentadas durante a pandemia. Estivemos junto ao produtor e reforçamos a importância de vacinar o rebanho. Um trabalho diário realizado pelas nossas equipes técnicas. E no fim, conseguimos nos manter na meta que é estar acima dos 90% na cobertura vacinal. Esses números são de extrema importância no processo de retirada da obrigatoriedade da campanha de vacinação contra a febre aftosa que está prevista para 2023”. – Afirmou o Diretor-geral do Idiarn, Mário Manso.

O RN é reconhecido internacionalmente livre da febre aftosa com vacinação pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), desde maio de 2014, e não apresenta casos da doença há mais de 20 anos. “Os bons índices são resultado do trabalho incansável das nossas equipes técnicas e também do atendimento dos produtores ao chamado para a vacinação. Estão todos de parabéns. É um trabalho diário com muita dedicação e responsabilidade e realizado com muita parceria”, conclui o Diretor-geral do Instituto, Mário Manso.

Desde 2015 o RN se mantém entre os maiores índices do Nordeste. Isso traz mais segurança para os contratos de exportação já firmados e abre caminho para novos acordos. Além disso, a alta imunização fortalece o cenário do mercado local e gera novos empregos para o Estado.

De acordo com informações do Idiarn, a segunda etapa da campanha de 2021 contra a aftosa acontecerá durante o mês de novembro em todos os municípios do Rio Grande do Norte. Nesse segundo momento, a vacinação será obrigatória apenas para os animais de 0 a 24 meses. A febre aftosa é uma doença causada por vírus que provoca febre e aftas, principalmente na boca e entre os cascos dos animais, causando enorme perda na produção de leite e carnes.