Promotor chama advogada de “galinha” durante julgamento no TJ-MG

Advogada
Advogada disse ter sido chamada de "galinha" por promotor durante audiência no TJ-MG; caso foi adiado para junho e novo promotor deve assumir a acusação

Conselheiros do CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) denunciaram o promotor Francisco Santiago depois de ofensas contra uma advogada durante audiência no TJ-MG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais). O documento é assinado pelos advogados Rodrigo Badaró e Rogério Varela. 

Em julgamento realizado em 26 de março, Santiago teria chamado a advogada Sarah Quinetti Pironi de “galinha garnisé” e insinuou que ela faria um “striptease”. Em vídeo gravado na audiência, Sarah questiona o promotor sobre as declarações, que refuta ao saber que estava sendo gravado. 

“Eu comecei a perceber que ele estava me destratando, mas ela não havia entendido ainda o porquê. Quando eu já estava na minha réplica, explicando um jurado de uma tese de defesa, ele me interrompeu, eu expliquei a ele que estava no processo tal pergunta que ele estava me indagando, e do nada ele me chama de galinha garnisé”, diz Sarah. 

“Não foi a 1ª vez que ele fez isso. Ele já fez isso com outra advogada em 2019. Em um dos momentos em que eu falo que vou trocar de beca com outro advogado que talvez ele me respeitaria, eu estava toda tampada dos pés à cabeça, ele fala que eu faria um striptease dentro do júri”, concluiu.

Assista ao vídeo (1min26s):

A audiência julgava um caso de homicídio, que aconteceu em 2022. A discussão se deu durante o embate entre os 2. O julgamento foi suspenso e só deve ser retomado em junho. Um novo promotor deverá ser designado para cuidar do caso. 

“Foi uma sensação de humilhação, de indignação. Eu me coloquei a zero naquele momento. Ele não somente me desrespeitou com palavras, mas também ironizou a minha Bíblia que eu carregava que estava na minha mesa de trabalho”, afirmou. 

Os conselheiros justificam que Francisco Santiago violou deveres funcionais e desrespeito aos direitos humanos e à igualdade de gênero. O processo deve ser analisado pelo CNMP nas próximas semanas. 

O Poder360 tentou contato com o promotor Francisco Santiago, mas não obteve retorno até o fechamento desta reportagem. 

Fonte: Poder360

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.