Prefeito de Porto Velho denuncia salários de servidores municipais acima do teto: ‘Até R$ 90 mil’

O prefeito Hildon Chaves (PSDB) protocolou, na manhã desta quinta-feira (10), uma denúncia no Ministério Público de Rondônia (MP-RO) apontando uma série de irregularidades na administração pública. Segundo o prefeito, em entrevista exclusiva à Rede Amazônica, foi descoberto que servidores municipais estatutários estariam recebendo salário acima do teto.

Nós encontramos salários de R$ 40 mil, R$ 60 mil, R$ 70 mil, R$ 90 mil na prefeitura de Porto Velho, causando um prejuízo que eu estimo em aproximadamente R$ 2,5 milhões por mês. Isso dá, quase ao longo de um mandato de quatro anos, R$ 100 milhões“, afirma Hildon.
 
O chefe do executivo afirmou que os salários acima do teto são pagos no alto escalão para cerca de 110 a 120 servidores estatutários. “Há uma maior incidência na Procuradoria do município. Não são todos dessas categorias, pois alguns são da Controladoria Geral do Município, a CGM, e na Secretaria de Fazenda de uma maneira geral“, relata.

Ainda de acordo com o prefeito, nenhum servidor pode ganhar acima do teto, que é o salário do prefeito, atualmente em cerca de R$ 24 mil. “Qualquer coisa acima disso aí é irregular”, diz.
Durante a entrevista, o prefeito também explicou que esses valores de salários foram descobertos durante uma investigação interna na prefeitura da capital.

Ampliamos a investigação, eu com uma única pessoa da minha confiança, mantive isso em sigilo até este momento e estou convencido de que é necessária uma apuração profunda, que deverá ser feita pelo Ministério Público. Acabei de entregar estas informações no MP e vamos aguardar aí um desenrolar dessas investigações, mas eu diria que, infelizmente, nós temos aí um grau de certeza. É muito próximo a praticamente 100% de que algo de muito errado vem acontecendo há muito tempo na prefeitura da nossa capital“, revelou em entrevista. O prefeito afirmou não imaginar há quanto tempo esse pagamento de alto salário vem acontecendo, mas espera que o o próprio MP busque essas informações a partir de agora.

Do G1