Preço da cesta básica cai em 12 capitais em outubro, diz Dieese

São Paulo registra cesta básica mais cara do país
Porto Alegre foi a capital que apresentou a cesta básica mais cara em outubro: R$ 739,21

O preço da cesta básica caiu em 12 capitais do país no mês de outubro em comparação a setembro. As maiores quedas foram em Natal (-2,82%), Recife (-2,30%) e Brasília (-2,18%). Os maiores aumentos foram em Fortaleza (1,32%), Campo Grande (1,08%) e Goiânia (0,81%). Os dados foram divulgados na 3ª feira (7.out.20237) pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), que pesquisa mensalmente o preço da cesta de alimentos em 17 capitais.

Porto Alegre foi a capital com a cesta básica mais cara, R$ 739,21, seguida de Florianópolis (R$ 738,77), São Paulo (R$ 738,13) e Rio de Janeiro (R$ 721,17). Os menores valores foram registrados em Aracaju (R$ 521,96), João Pessoa (R$ 551,88) e Recife (R$ 557,10).

Comparando o preço da cesta básica de outubro de 2023 com o mesmo período de 2022, houve queda em 12 capitais, com destaque para Brasília (-7,34%), Campo Grande (-6,9%), e Goiânia (-5,8%). Cinco capitais tiveram aumento de preço, com destaque para os percentuais de Salvador (0,09%), Aracaju (1,25%) e Natal (1,52%).

No acumulado dos 10 primeiros meses do ano, o custo da cesta básica caiu em 16 das 17 capitais pesquisadas, com percentuais de -11,1%, em Brasília, a -0,3%, em Natal. A única alta foi em Aracaju (0,17%).

Com base na cesta mais cara que, em outubro, foi a de Porto Alegre, e considerando a determinação constitucional de que o salário mínimo deveria ser suficiente para suprir as despesas da família de um trabalhador com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, o Dieese estima que o valor necessário, no 9º mês do ano, deveria ter sido de R$ 6.210,11 ou 4,6 vezes o mínimo atual, que é de R$ 1.320.

Em outubro, o preço do leite integral caiu em 15 capitais; o do feijão carioquinha, em todos os locais onde é pesquisado (Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Belo Horizonte e São Paulo); e o do tomate, em 12; enquanto o da batata aumentou em todas as 10 cidades onde é pesquisado no Centro-Sul.

O preço do feijão tipo preto caiu em 3 das 5 capitais onde é pesquisado (Região Sul, Rio de Janeiro e Espírito Santo), e o do arroz agulhinha aumentou em todas as capitais pesquisadas, assim como o do pão francês, que subiu em 13 localidades, e o do açúcar, em 11.

Com informações da Agência Brasil.

Fonte: Poder360

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.