Portaria libera realização de vaquejadas no RN

O Rio Grande do Norte poderá voltar a realizar vaquejadas. Em portaria conjunta das secretarias de Saúde e Segurança, além do Gabinete Civil e do Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do Rio Grande do Norte (Idiarn), o Estado determinou as condições para a realização das competições. Entre os pré-requisitos está a realização das competições somente em cidades em situação mais tranquila com relação à transmissibilidade da covid-19.

A portaria foi publicada levando em consideração o cenário epidemiológico decorrente da pandemia, que “ainda preocupa e inspira cuidados”, mas também a necessidade de ter prudência “no processo de retomada das atividades socioeconômicas”. No documento, o Governo ressaltou a importância de “um planejamento responsável nas ações de combate à pandemia, definindo parâmetros e protocolos sanitários que, de um lado, assegurem a proteção à saúde e, de outro, permitam resgatar a atividade econômica no Estado, fundamental para a preservação dos empregos e da renda da população, afetados pelas necessárias restrições de funcionamento”.
 
Pela norma, a realização das vaquejadas fica restrita aos municípios cujo indicador composto da covid-19 encontre-se classificado nas cores verde ou amarela (níveis 1 a 3), desde que não sejam vedadas as competições em decretos regionais. A maior parte do Rio Grande do Norte está em condições de receber as competições de vaquejada.
 
De acordo com o mais recente indicador composto para monitoramento da pandemia da covid-19 no estado, sete das oito regiões de Saúde do estado estão no nível 3, com exceção da região do Açu, que tem nível 4. Porém, municípios como Apodi e São Rafael, no Oeste, têm índice 5, enquanto cidades como Carnaúba dos Dantas, Goianinha, Lajes, Itajá, Itaú, São José de Mipibu, Jardim de Piranhas, Parelhas e Frutuoso Gomes, entre outras, têm nível 4, também sendo impedidas de realizar as vaquejadas.
 
Ainda de acordo com a norma estabelecida pelo Governo do Estado, os competidores residentes nos municípios com indicador composto classificado nas cores laranja e vermelho (Níveis 4 e 5) não poderão ser inscritos ou participar das competições, independentemente do local de sua realização. Por exemplo: um competidor de São Rafael, que está no nível 5, não pode disputar uma vaquejada em Caiçara do Rio do Vento, que está em nível 1. 
 
Os competidores que moram em outros estados poderão participar das vaquejadas, desde que comprovem, no momento da inscrição, a situação epidemiológica atualizada do município de origem. Caso um participante não esteja dentro das regras determinadas e participe da competição, haverá a suspensão automática da autorização da competição, mas não ha previsão de multa aos organizadores. 
 
As vaquejadas, contudo, serão restritas à atividade esportiva e aos competidores, além de equipe de organização. Está proibida, em qualquer caso, a realização de festas ou eventos de massa, ficando os organizadores responsabilizados pela observância de todos os protocolos sanitários estabelecidos. 
 
Da Tribuna do Norte