Playlist do Enem: quem são os músicos que já tiveram letras nas capas dos cadernos da prova

Série sobre o Racionais
Série sobre o Racionais — Foto: Divulgação

Nos dois domingos de provas do Enem 2023, os candidatos encontraram versos de letras de músicas dos Racionais MC’s nas capas dos cadernos de questões do exame nacional. Não é a primeira vez que isso ocorre. Ainda que poetas da literatura brasileira e portuguesa sejam maioria, nos últimos anos, músicos ganharam espaço nas provas.

Como ocorre todo ano desde 2011, as capas dos cadernos de provas, divididos em Azul, Amarelo, Branco e Rosa, tem frases que precisam ser transcritas para o cartão-resposta, o que funciona como uma medida de segurança. Neste ano, as frases escolhidas foram retiradas das músicas Vida Loka Pt.1, Vida Loka Pt.2, A Vida é Desafio, Negro Drama e Sou+Você — todas composições do grupo de rap.

No Enem 2020, outro rapper de São Paulo também teve versos nas capas do principal exame de acesso ao ensino superior do Brasil. “Me deu um beijo e virou poesia”, “Quem tem um amigo tem tudo”, “Vitória é sonho dos olhares” e “Cale o cansaço, refaça o laço” são alguns dos versos de Emicida escolhidos naquele ano. Elas pertencem, respectivamente, às letras de “Pequenas Alegrias da Vida Adulta”, “Quem Tem Um Amigo”, “Trevo, Figuinha e Suor na Camisa” e “Principia”.

Já as provas de Ciências da Natureza e Matemática de 2020 vieram acompanhadas de versos extraídos também de “Levanta e Anda” e “AmarElo”.

Em 2019, foi a vez de outro gênero musical. Naquele ano, o Inep optou por colocar trechos de músicas da banda de rock Legião Urbana na prova. Estiveram presentes no primeiro dia do exame os versos “Disciplina é liberdade, compaixão é fortaleza”, retirada de Há Tempos; “Teremos coisas bonitas para contar”, de Metal Contra as Nuvens; “Quando tudo está perdido, sempre existe um caminho”, de A Via Láctea; e “Venha, o amor tem sempre a porta aberta”, de Perfeição.

No segundo dia de prova de 2019 apareceram trechos das músicas “Comédia Romântica”, “O Mundo Anda Tão Complicado”, “Eduardo e Mônica” e “Longe do Meu Lado”.

Em 2020, o escolhido foi o poeta cearense Patativa do Assaré, nome artístico de Antônio Gonçalves da Silva, que também era compositor e repentista. “Sabemos que a terra é nossa”, “Saudade é canto magoado”, “A terra é um bem comum” e “Cada qual anda alegre e sorridente” são alguns trechos de obras de Patativa que estiveram naquela edição do Enem.

As presenças mais constantes nas capas do Enem, no entanto, seguem sendo trechos de poemas de autores brasileiros e portugueses. Em 2021, versos do épico “Os Lusíadas”, de Camões, foram usados nos exames. Três anos antes, em 2018, foi a vez da autora Conceição Evaristo. Também estiveram nas capas do Enem Casimiro de Abreu (2017), Ana Cristina César (2016), Cecília Meireles (2015), Mário Quintana (2014), Mário de Andrade (2013), Fernando Pessoa (2012).

Fonte: O Globo

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.