PF faz buscas e prisões em investigação sobre ‘gabinete paralelo’ de pastores no MEC

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (22) uma operação que tem como alvos o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro e pastores suspeitos de montar um gabinete paralelo para liberação de verbas dentro do MEC. Ao todo serão cumpridos mandatos de prisão em três estados mais o Distrito Federal.

Segundo informações iniciais do G1, Milton Ribeiro e os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura são alvos de mandados de prisão. A PF investiga Ribeiro por suposto favorecimento aos pastores Gilmar Santos e Arilton Moura e a atuação informal deles na liberação de recursos do ministério. Há suspeita de cobrança de propina.

O inquérito foi aberto após o jornal “O Estado de S. Paulo” revelar, em março, a existência de um “gabinete paralelo” dentro do MEC controlado pelos pastores.

As autoridades investigam a prática de tráfico de influência e corrupção na liberação de verbas do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), ligado ao Ministério da Educação.

 

Do Tribuna do Norte