Passageiro filmou fortes ondas que atingiram cruzeiro em tempestade que feriu 100 na Espanha: ‘Tripulação estava chorando’

Com mil pessoas a bordo, a embarcação Spirit of Discovery precisou retornar ao Reino Unido; tempestade obrigou o navio a fazer manobra de segurança 'inesperada'
Com mil pessoas a bordo, a embarcação Spirit of Discovery precisou retornar ao Reino Unido; tempestade obrigou o navio a fazer manobra de segurança 'inesperada' — Foto: Reprodução

Um passageiro do navio de cruzeiro que precisou retornar ao Reino Unido após 100 passageiros terem ficado feridos numa tempestade filmou as fortes ondas que atingiram a embarcação na costa oeste da França. Segundo a BBC, o Spirit of Discovery chegou a se inclinar para um lado enquanto fazia uma manobra de segurança. A empresas responsável pelo navio afirmou que a maior parte das lesões foi leve, mas cinco pessoas precisaram ser levadas ao hospital.

O passageiro Alan Grisedale filmou as ondas enormes. Ele contou à BBC que o balanço da embarcação decorrente da ondulação do oceano derrubou sua mulher no chão e deslocou os móveis da cabine.

Também em entrevista à BBC, um dos passageiros afirmou que tripulantes e passageiros foram tomados por um “estado de medo” ao ficarem no meio da tempestade, segundo a BBC. Segundo ele, “todos temiam por suas vidas”.

— As pessoas estavam escrevendo mensagens para seus entes queridos, caso capotássemos — disse o passageiro à rede britânica. — O tom de voz do nosso capitão, ele estava fisicamente assustado. A tripulação estava chorando. Tivemos muitos passageiros em terríveis estados de medo.

Jan Bendall, de 75 anos, estava no cruzeiro com o marido. Ela contou à BBC que os dois ouviram, da cabine, quando o capitão do cruzeiro usou o sistema de alto-falantes para pedir que todos “permanecessem sentados ou se deitassem”. Segundo ela, a embarcação ficou parada por cerca de 15 horas “apanhada no meio da tempestade”.

— Foi bastante assustador — relembrou. — Não sou alguém que se assusta facilmente. Foi bastante dramático.

Na noite de segunda-feira, o navio atracou em Portsmouth. Os passageiros desembarcaram na terça-feira pela manhã.

O navio havia partido para as Ilhas Canárias em 24 de outubro com cerca de 1.000 pessoas a bordo. De acordo com a companhia, os primeiros dez dias do cruzeiro (planejado inicialmente para durar 14 dias) correram bem, mas a programação terminou afetada pela tempestade.

No meio do caminho para Corunha, na Espanha, o porto foi fechado. Por isso, a tripulação decidiu retornar ao Reino Unido antecipadamente, na esperança de evitar o mau tempo. Enquanto estavam no Golfo da Biscaia — uma área conhecida por suas áreas agitadas — a tempestade atingiu o navio, e o sistema de segurança da embarcação foi acionado, fazendo com que ele inclinasse subitamente para a esquerda e parasse.

Foi durante essa manobra que a maioria das lesões ocorreu, segundo um porta-voz da Saga. O navio permaneceu parado até que as condições melhorassem, e retornou a Portsmouth na noite desta segunda. Ainda de acordo com o porta-voz, caberia aos passageiros decidir se desejavam ir ao hospital para receber tratamento adicional. A Saga afirmou que o navio “permaneceu seguro o tempo todo”.

— Embora o clima esteja claramente além do nosso controle, queremos oferecer nossas sinceras desculpas a todos os afetados, que agora estão seguros a caminho de casa em mares mais calmos — acrescentou o porta-voz à BBC.

Fonte: O Globo

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.