Para ganhar mais tempo de negociação, expectativa agora é que a proposta vá à votação nesta quarta-feira

A ideia inicial do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), era votar a PEC nesta terça-feira (30). Mas, para ganhar mais tempo de negociação, a expectativa agora é que a proposta vá à votação nesta quarta (1º) —se não houver convocação de sessão do Congresso para apreciar vetos do governo. Parte do acordo costurado por Maia para atrair o centrão também envolve a aprovação de um projeto, no Senado, que retoma a propaganda partidária gratuita. A negociação foi feita em conjunto com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

As propagandas partidárias no rádio e na televisão, mesmo fora do período eleitoral, foram proibidas na minirreforma eleitoral de 2017. O texto do senador propõe que as inserções nacionais sejam veiculadas às terças, às quintas-feiras e aos sábados e as inserções estaduais às segundas, quartas e sextas-feiras. Com as duas medidas, Maia pretende angariar o apoio necessário para aprovar a PEC. Para a proposta passar, são necessários os votos de pelo menos 308 deputados em dois turnos.

Parte do acordo costurado por Maia para atrair o centrão envolve a aprovação de retomar a propaganda partidária gratuita.