Oposição na web, Ciro Nogueira votou com Lula na reforma tributária

Na foto, Ciro Nogueira, ex-ministro da Casa Civil,
Na foto, Ciro Nogueira, ex-ministro da Casa Civil no governo Bolsonaro, durante cerimônia em comemoração ao Dia Nacional do Voluntariado, no Palácio do Planalto, em 26 de agosto de 2021

O presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (do Piauí), é um dos críticos mais acerbos do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas redes sociais. Não passa um dia sem que fale sobre o que entende serem defeitos da administração petista. Na prática, entretanto, o pepista não causa problemas para o Planalto. Na 3ª feira (7.nov.2023), ele votou a favor do texto da reforma tributária na Comissão de Constituição e Justiça.

Hoje cedo nesta 4ª feira (8.nov.2023), depois de ter ajudado o Planalto no dia anterior, a atitude ambígua de Ciro Nogueira se voltou para a internet. Ele publicou o artigo “Não haverá frente ampla da gastança” no site Brazil Journal, voltado para o público investidor de São Paulo.

“Autoridades do governo do PT saíram por aí alardeando a formação de uma suposta ‘frente ampla’ com partidos de oposição. O que é isso, companheiro? Frente ampla para gastar, aumentar impostos, turbinar despesas, cargos em comissão, multiplicação de ministérios, à custa dos pagadores de impostos?”, escreveu Ciro Nogueira.

Outra senadora que em público se apresenta como de oposição, Tereza Cristina (PL-MS) também ajudou o Planalto a aprovar o texto da reforma tributária. Ela foi ao X (ex-Twitter) para dizer que o PP apoiou o projeto. No espaço para comentários, muitos a criticaram:

O PP, apesar de se apresentar como anti-Lula, tem obrigatoriamente uma posição ambígua. A legenda ganhou o Ministério do Esporte, que foi para o deputado André Fufuca (do Maranhão) e indicado com a benção do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), um dos principais líderes do Centrão.

Além disso, o PP sempre teve uma relação amistosa com o mundo dos agentes econômicos e financeiros. Tanto Ciro Nogueira como Tereza Cristina sentiram que os bancos da av. Faria Lima, em São Paulo, acham que neste momento é melhor aprovar a reforma tributária. Por essa razão, os 2 senadores falam em público de maneira crítica a Lula e ao PT, mas na hora do voto dentro do Congresso acabam apoiando propostas governistas que agradam ao mercado.

Fonte: Poder360

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.