Multa à Enel pode chegar a R$ 50 milhões por apagão, diz Dino

O ministro da Justiça, Flávio Dino, comentou sobre o "apagão" que afeta o município de São Paulo desde 6ª feira (3.nov)

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, disse nesta 3ª feira (7.nov.2023) que a multa à Enel de São Paulo, concessionária responsável pela energia do Estado, pode chegar a R$ 50 milhões pelo “apagão” que afeta a capital paulista desde 6ª feira (3.nov).

“A multa pode chegar a R$ 50 milhões, dependendo do caso. Teria que ser aferida a dosimetria caso a caso, mas não há dúvida da essencialidade do serviço e da dimensão da lesão”, declarou Dino em entrevista ao portal Uol.

Dino afirmou que a Enel terá prazo de 10 a 15 dias para pagar a indenização. Ele também disse que o restabelecimento do serviço deve ser “imediato”. Na noite de 2ª feira (6.nov), 120 mil clientes continuavam no escuro.

O ministro disse ainda que não há um prazo fixado para a Enel apresentar uma explicação sobre os motivos do apagão. “Se a empresa não tiver a conduta adequada, claro que vamos fixar o prazo”, afirmou.

Segundo a Enel, 2,1 milhões de pessoas ficaram sem luz. A falta de energia se deu por conta do temporal com ventos de até 100 km/h que deixou 7 pessoas mortas em São Paulo.

Na 2ª feira (6.nov), o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), ameaçou entrar na Justiça caso a Enel não restabeleça a energia elétrica de 100% da população da cidade até o final desta 3ª. De acordo com Nunes, a empresa assumiu um compromisso público de religar a energia dos clientes que continuam sem luz no município.

Fonte: Poder360

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.