Mulheres cuidam melhor do próprio dinheiro, aponta pesquisa

Em se tratando de finanças pessoais, as mulheres tendem a ser mais assertivas e cuidadosas com o dinheiro. Elas que, historicamente, ganham menos que os homens, são inclusive mais generosas com os filhos, segundo pesquisa da empresa de negociação de dívidas Acordo Certo.

O levantamento aponta que 70% das mães afirmam dar mesada para os filhos, contra apenas 29% dos homens. Entre elas, 89% falam com os filhos sobre a situação financeira da família – oito pontos percentuais a mais do que os representantes do sexo oposto.

Outros dados da pesquisa que colheu informações de pouco mais de 1.600 usuários do Acordo Certo corroboram essa tese. Por exemplo, entre os que gastam mais do que deviam, o percentual de mulheres é menor, 48%, contra 53% dos homens, que parecem ter mais dificuldade de resistir ao impulso. Na educação financeira para os filhos, 87% das mulheres tratam de trabalho e da importância de guardar dinheiro. Em relação aos homens, a proporção cai para 80%.
 
“As mulheres possuem uma preocupação maior com a própria educação financeira e com a educação financeira dos filhos se comparadas com os homens. “A educação financeira pode ser uma ferramenta importante nesta transformação social por empoderar as mulheres, dando a elas mais segurança na tomada de decisões. É uma longa jornada, mas os primeiros passos estão sendo dados”, considera Bruna Allemann, educadora financeira da Acordo Certo.

É claro que parte dessa disciplina se explica por terem menos renda. Antes de sair de casa, 91% das mães dizem aos filhos que não poderão comprar nada para eles, por falta de dinheiro, contra 71% dos pais.

São as mulheres a maioria dos beneficiários de programas como o Auxílio Brasil, porque mais de 60% dos lares chefiados por elas estão abaixo da linha da pobreza. O cenário de consistente adversidade faz com que elas tenham de frear os gastos e aprendem, nem que seja na marra, a gerenciar as contas.

Do Valor Investe