Ministro da Saúde visita parque de radioterapia da Liga Norte Riograndense Contra o Câncer

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em visita à Natal, esteve na manhã de hoje no Centro Avançado em Oncologia – CECAN, unidade da Liga Contra o Câncer, entidade filantrópica especializada em tratamento e prevenção do câncer, na produção de conhecimento, ensino, pesquisa e formação profissional, e que destina quase 70% de seu atendimento a pacientes do SUS.

Na ocasião, atendendo a convite da instituição, a visita do ministro oficializou o funcionamento do acelerador linear modelo Clinac CX, doado pelo Ministério da Saúde, através do Plano de Expansão da Radioterapia no SUS, e que substituiu o primeiro acelerador Linear da instituição, que foi retirado de operação em 2019.

Com capacidade para atender 80 novos pacientes por dia, o equipamento já está em operação e ampliou a capacidade de atendimento do setor de radioterapia da instituição, proporcionando mais agilidade e conforto aos pacientes. “Com a tradição de alinhar inovação, pioneirismo e excelência nos tratamentos, a Liga Contra o Câncer possui hoje um dos parques de radioterapia mais bem estruturados do país. São cinco aceleradores lineares, entre eles um Halcyon-E, máquina mais moderna existente no mundo para o tratamento em radioterapia, sendo até julho de 2020, o primeiro Halcyon destinado a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) no Brasil”, afirmou o superintendente da instituição, Roberto Sales.

Em sua fala, o coordenador executivo da Liga, Dr. Luciano Luiz, destacou o atual momento de dificuldade pelo qual passa a instituição. “As maiores dificuldades hoje são receber pelo serviço que prestamos ao SUS e os limites de atendimento que nos são colocados pelos gestores. Isso compromete o fluxo de caixa severamente e nos coloca por vezes na condição de ter de fazer uma escolha difícil: atender e não receber, porque ultrapassa o teto que nos é imposto, ou adiar o atendimento até virar o mês de competência, para podermos receber. Hoje temos mais de sete milhões de reais a receber por atendimentos que ultrapassaram nosso teto contratual, mas que tivemos de fazer para não prejudicar o paciente. Atualmente temos recorrido a instituições financeiras a um custo elevado de juros”, afirma Dr. Luciano Luiz.

O Ministro defendeu a sustentabilidade no serviço de saúde: “ter uma política pública dirigida à oncologia para atender as necessidades da população brasileira é uma prioridade absoluta do governo federal. O compromisso do estado brasileiro é com a vida, com a dignidade do ser humano. A saúde é um direito de todos e um dever do estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas, que devem ser orientadas pela sustentabilidade, que deve ser criada pelos gestores públicos. Precisamos mudar a forma de remuneração no sistema de saúde no Brasil”.

Queiroga falou ainda da importância da participação da iniciativa privada no combate ao câncer. “Modelos de sucesso como o da Liga, com a participação privada, devem ser estimulados no Brasil para que possamos fortalecer ainda mais a política pública de atenção ao câncer que o Ministério da Saúde desenvolve”, afirmou o ministro.

Ao longo do dia, o ministro da Saúde cumprirá agenda oficial, onde lançará o Programa Nacional de Testagem para o Covid-19 e visitará o Hospital Municipal de Campanha (HMC) e o Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde – LAIS.

Estiveram presentes na visita, além do ministro Marcelo Queiroga e representantes do Ministério da Saúde, os médicos Roberto Sales, superintendente da Liga, Luciano Luís, coordenador executivo da instituição, Ivo Barreto, superintendente adjunto, Ricardo Curioso, tesoureiro, Edilmar Moura, coordenador de Ensino e Pesquisa, Maciel Matias, coordenador de Projetos, o secretário estadual de saúde, Cipriano Maia, o secretário de saúde municipal, George Antunes e os deputados federais Benes Leocádio e Carla Dickson.