Ministério Público recomenda e prefeitura de Mossoró suspende vacinação de profissionais de educação física

A prefeitura de Mossoró suspendeu a vacinação contra Covid-19 para profissionais de educação física, que tinha sido iniciada nesta terça-feira (2) junto com outras categorias da saúde. A decisão atendeu a uma recomendação feita pelo Ministério Público do Estado. De acordo com o órgão, o município da região Oeste potiguar deve vacinar apenas profissionais elencados em recomendação da Secretaria Estadual de Saúde. Em seguida, deve ser iniciada a vacinação de idosos.

A vacinação de educadores físicos, que são considerados profissionais de saúde, também causou polêmica em Parnamirim, na região metropolitana de Natal.

Em nota, a prefeitura afirmou que, inicialmente, a vacinação contemplou os profissionais de saúde que atuam na linha de frente contra a Covid-1 doença e, a partir da segunda remessa de doses, a vacinação passou a contemplar outros profissionais de saúde, incluindo trabalhadores das redes pública e privada.

“O município não inclui nem exclui possíveis beneficiários de acordo com a atividade profissional exercida pelo beneficiário, mas respeita as devidas regulamentações das profissões que as enquadram legalmente como sendo da área da saúde por órgãos, associações e conselhos superiores”, disse.

Porém, diante da recomendação, a prefeitura disse que adiou a vacinação dos educadores físicos até que seja construído um alinhamento entre a Procuradoria do Município, a Secretaria Estadual de Saúde e o Ministério Público do Rio Grande do Norte.

Em documento publicado nesta quarta-feira (3) e assinado pelo promotor Rodrigo Pessoa de Morais, o Ministério Público recomendou que o município, após a vacinação de 100% dos trabalhadores de saúde da linha de frente Covid-19 e idosos institucionalizados, seja observado o escalonamento, proposto pela Nota Técnica nº 04/2021 da Secretaria Estadual de Saúde para vacinação dos demais trabalhadores da saúde, conforme disponibilidade de doses.

A nota prevê vacinação das equipes de vacinação que estiverem inicialmente envolvidas na imunização; trabalhadores das Instituições de Longa Permanência de Idosos; trabalhadores dos serviços de saúde públicos e privados, tanto da urgência quanto da atenção básica, envolvidos diretamente na atenção/referência para os casos suspeitos e confirmados de Covid-19.

O Ministério Público também recomendou que o município só realize a vacinação dos demais trabalhadores de saúde, que não atuam na linha de frente Covid-19 “ou não se expõem em suas rotinas laborais a níveis de exposição ao contágio, de forma continuada ou intermitente”, apenas após a conclusão das demais fases previstas inicialmente no plano de vacinação.

Conforme a recomendação, a prefeitura ainda deverá utilizar as doses, se sobrarem, para início de vacinação de pessoas com 95 anos ou mais, ou idosos a partir dos 75 anos que estejam acamados.

A prefeitura ainda informou que a vacinação dos idosos acima de 75 anos, principalmente os acamados, começará a partir do próximo dia 8 de fevereiro, “mediante a disponibilidade de doses”.

Do G1