Miguel Nicolelis: “Óbitos podem superar nascimentos no país em abril por causa da covid-19”

O neurocientista Miguel Nicolelis não está nem um pouco surpreso com o novo recorde de óbitos pela covid-19 nesta terça-feira. As 4.195 mortes registradas nas últimas 24 horas, ele diz, vão ao encontro de um alerta lançado na semana passada por ele mesmo, por outros pesquisadores brasileiros e por um estudo da Universidade de Washington, em Seattle, nos Estados Unidos.

“No melhor dos cenários, até julho o Brasil pode atingir meio milhão de óbitos. No pior dos cenários, 600.000 óbitos”, explica o especialista no novo episódio do podcast Diário do front, a análise semanal do colunista do EL PAÍS sobre os rumos da crise sanitária no país.

No episódio, Nicolelis fala dos impactos demográficos da pandemia no Brasil, não apenas agora, como para a população economicamente ativa do país no futuro. O cientista revela que já há redução significativa no saldo de nascimentos em relação a 2019 e que em alguns Estados e cidades já há mais mortes do que nascimentos por cauda da escalada da pandemia.

No caso do Rio Grande Sul, ele afirma que dados preliminares de março indicam que foram 4.000 óbitos a mais. “É possível que em abril os óbitos superem os nascimentos em todo o país. Toda a região sul brasileira já está empatada.”

Do El Pais