Médico cirurgião diz que Sargento Benedito, baleado pelo próprio filho, está paraplégico, porém não há como afirmar que sequelas serão permanentes

O cirurgião geral Caio Guimarães, do Hospital de Trauma de Campina Grande, atualizou na manhã desta segunda-feira, dia 21 de março, o quadro de saúde do Sargento Benedito, de 56 anos, que foi baleado pelo próprio filho de 13 anos, em chacina onde ele matou mãe e irmão de 7 anos, na tarde do último sábado (19), em Patos.

De acordo com Caio, o paciente está na Área de Vermelha da referida unidade hospitalar, porém consciente e orientado, sem necessidade de intubação. No momento, ele está com déficit motor nas vértebras T11 e T12, ou seja, está paraplégico com dificuldade para sentir os membros inferiores.

Ainda segundo Caio, até o momento, Sargento Benedito não passou por nenhuma cirurgia para retirada da bala que está alojada na coluna, e a equipe médica está avaliando o paciente dia após dia, para que possa ser tomada alguma decisão.

Em relação a possíveis sequelas, o médico conta que ainda é muito cedo para fazer uma avaliação definitiva e que apenas com o passar dos dias será possível e evolução do quadro é que será possível falar em sequelas permanentes.

Relembre o caso

A chacina, que chocou a população de Patos e região, aconteceu na tarde deste sábado, dia 19 de março, na residência da família, na Rua Oscar Torres, no bairro Jardim Guanabara. O filho confessou que matou a mãe, o irmão e tentou matar o pai, após ter o celular confiscado e ser impedido de jogar um jogo chamado “Roblox”, por causa das notas baixas na escola.

Ele aproveitou o momento em que o pai, sargento Benedito, saiu de casa para ir até a farmácia comprar um remédio para a mãe que estava com dor de dente, e pegou a arma do pai que estava em um armário de ferro. O adolescente foi até o quarto e atirou na região do ouvido da mãe, que teve morte instantânea, o irmão mais novo viu a cena e começou a brigar com ele, que começou a correr pela casa tentando atirar também contra o menor. Nesse momento o pai chegou e tentou pegar a arma do filho, mas acabou sendo atingido no tórax e caiu no chão, o filho mais novo correu e se abraçou com o pai, foi quando o irmão atirou pelas suas costas e o matou.

Após o crime, ele guardou a arma e chamou o SAMU. À polícia, ele disse que havia sido um assalto, porém, após investigação e confirmação por parte do pai, que foi socorrido em estado grave e está internado, logo o caso foi elucidado e o menor apreendido.

Patosonline.com