Lula discute situação dos brasileiros em Gaza em reunião com chanceler

Soldados israelenses patrulham a Faixa de Gaza
Soldados israelenses patrulham a Faixa de Gaza — Foto: AFP

A situação de 34 brasileiros, palestinos residentes no Brasil e parentes próximos que esperam autorização para sair da Faixa de Gaza pelo Egito foi discutida, na manhã desta segunda-feira, em uma reunião entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o chanceler Mauro Vieira. Existe forte preocupação com a permanência de nacionais na zona de conflito entre Israel e o grupo palestino Hamas.

Depois de dois dias fechada pelo governo do Egito, a passagem de Rafah, por onde estrangeiros em Gaza estavam deixando o enclave palestino, foi reaberta nesta segunda-feira. Até o momento, foram liberadas quatro listas de pessoas autorizadas a sair da zona de conflito, mas nenhuma delas de nacionalidade brasileira.

A avaliação é que, além do risco de serem atingidos pelos bombardeios, produtos de primeira necessidade, como alimentos, remédios, água e energia a gás, podem faltar. A demora na liberação dos brasileiros que estão em Gaza levou o governo a intensificar os contatos com altas autoridades de país com posição de destaque no impasse.

Na última sexta-feira, em uma conversa telefônica com Mauro Vieira, o chanceler de Israel, Eli Cohen, garantiu que os brasileiros que estão em Gaza serão liberados para atravessar a fronteira até quarta-feira, na pior das hipóteses.

Mauro Vieira já falou com o chanceler egípcio, Sameh Shoukry, cinco vezes, e três vezes com Eli Cohen. Na última segunda-feira, quando ainda estava em Nova York, Vieira falou ao telefone com o primeiro-ministro e ministro das Relações Exteriores do Qatar , Mohammed bin Abdulrahman Al-Thani; e o chefe da diplomacia dos Estados Unidos, Antony Blinken.

Também na tentativa de apressar a liberação dos brasileiros, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva conversou com os presidentes de Israel, Isaac Herzog; do Egito, Abdul Fatah Khalil Al-Sisi; e da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas.

Já o assessor para assuntos internacionais do Palácio do Planalto, Celso Amorim, conversou com o Jake Sullivan, conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, sábado passado. Amorim manifestou o incômodo pela lista de retirada de estrangeiros de Gaza não incluir, pelo quarto dia consecutivo, nenhum brasileiro.

Nesta segunda-feira, um novo apelo foi feito aos EUA, durante uma visita da embaixadora americana em Brasília, Elizabeth Bagley, ao Palácio do Planalto. Acompanha do subsecretário de Estado Kevin Sullivan, Bagley conversou sobre temas relacionados à América do Sul e ouviu de autoridades brasileiras um apelo para que seu país ajude o Brasil a repatriar seus cidadãos que estão em Gaza.

Fonte: O Globo

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.