Lula bate recorde em demora para indicar PGR

Lula
Hiato entre um procurador e outro ocorre muitas vezes por causa da necessidade de aprovação do nome pelo Senado Federal; dessa vez a causa é a demora inédita na indicação de um novo PGR pelo presidente Lula (foto)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está há 48 dias sem indicar um nome para ocupar o cargo máximo do Ministério Público Federal. O Poder360 levantou todas as indicações desde a redemocratização. É o maior tempo sem um procurador oficial no cargo desde a promulgação da Constituição da Constituição Federal de 1988.

O tempo de espera entre a saída do ex-procurador Augusto Aras e a nova indicação do petista é 10 vezes maior que o recorde anterior –quando Dilma levou 4 dias para indicar Rodrigo Janot a partir do término do mandato de Roberto Gurgel. 

Desde a redemocratização, 8 pessoas assumiram o cargo de procurador-geral da República. Em 6 dos casos, o presidente fez a indicação antes do fim do mandato do antecessor.

Até que uma nova pessoa seja indicada por Lula e aprovada pelo Senado Federal, a vaga é ocupada pela subprocuradora-geral Elizeta Ramos.

Segundo apuração do Poder360, Lula estava achando bom o cargo de PGR interinamente com Elizeta. Se tudo desse certo, OK. Se houvesse algum ruído, o presidente pode retirá-la da cadeira “ad nutum”, ao nomear seu indicado. Tudo indica que esse momento pode estar chegando ao fim: Elizeta tem feito algumas nomeações internas de pessoas com passado pró-Lava Jato. Por essa razão, o Planalto pode acelerar a escolha do PGR definitivo.

Em setembro, o presidente já havia dito que não se apressaria para indicar um novo nome à Procuradoria Geral. Segundo ele, há uma “angústia” sobre o nome no noticiário, mas ele não compartilha desse sentimento e precisa conversar com “muita gente” sobre as escolhas, tanto da PGR quanto para o novo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal).

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, compartilha da mesma opinião do presidente. “O Brasil já teve outras situações de interinidade no cargo. O presidente da República tem que ter calma, tranquilidade, é sua prerrogativa constitucional de fazer a escolha deste nome que vai ser encaminhado para o Senado ainda”, afirmou 1 dia antes do final do mandato de Augusto Aras.

Fonte: Poder360

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.