Lixão de Caicó continua prejudicando população de São Fernando

A população de São Fernando foi mais uma vez surpreendida neste domingo (18), com a queima no lixão de Caicó. De acordo com informações colhidas pela reportagem do Sistema Rural de Comunicação, com catadores que trabalham no local, o incêndio foi provocado por razões que eles desconhecem. “Deve ter sido a lente de algum óculos de grau em contato com o sol”, disse um deles.

Mas, autoridades do Município de Caicó acreditam em incêndio criminoso, e garantem que todas as providências vinham sendo tomadas, inclusive obedecendo a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta, que manda que o lixo seja aterrado, até que se construa o Aterro Sanitário, dentro do Consórcio de Resíduos Sólidos do Seridó.

Enquanto isso, a população de São Fernando continua sendo a mais afetada com a queima do lixo de Caicó. Em todos os bairros visitados pelo Sistema Rural, facilmente foram encontrados depoimentos de pessoas que sofrem com a fumaça que, nos dias de queima, toma conta da cidade. “Irritação, tosse, desconforto, olho lacrimejando, que chega ser insuportável, fica aquela sensação de uma crise de garganta, é muito chato ter que lidar com essa situação”, relata João Marcos, morador da cidade.

Dona Fátima é outra das prejudicadas. “Por sinal minha mãe tem 93 anos e a gente tem que fechar a porta, porque a fumaça é tão grande que ela não consegue ficar na sala, e temos que levá-la para o quarto que é forrado”.  “O prefeito da nossa cidade já procurou o prefeito de Caicó, mas até agora nada foi resolvido. A situação permanece”, lamenta Flávio Dantas, outro morador de São Fernando.

O Sistema de Saúde de São Fernando também é afetado pela fumaça que vem do lixão de Caicó. Edikátia Medeiros, secretária da pasta confirma que nos dias após a queima os postos de saúde da cidade registram aumento no número de pacientes, muitos deles com problemas respiratórios.

Há anos que nós, moradores de São Fernando sofremos com a fumaça do lixão de Caicó. Acarreta problemas respiratórios em crianças, idosos e adultos. Amanhã com certeza vai ser um dia que nossas unidades de saúde estarão com pessoas com problemas respiratórios. Já acordamos de madrugada, a cidade já ficou coberta com a fumaça por causa do lixão”.

Pelo que a reportagem conseguiu apurar, várias iniciativas já foram tomadas pelo prefeito de São Fernando, Polion Maia junto ao Município de Caicó. A cidade tem um aterro bem mais organizado e controlado do que o de Caicó, como relata Neto Maia, secretário de Obras.

A coleta de lixo de São Fernando é realizada duas vezes por semana, a nossa equipe consegue fazer a coleta durante a manhã e à tarde, as máquinas vem e cobre, de forma que fica uma aterro sanitário, nem parece ser um lixão. Usamos aluvião, terra de roçado que conseguimos com os proprietários vizinhos, uma terra boa de se trabalhar, fica uma coisa bem feita. Apesar de ser uma cidade maior, tem muito mais lixo, se conseguimos fazer isso aqui, Caicó tem condições de fazer lá“.

Confira a reportagem